ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 24º

Saúde Viva

O Desafio do Acesso à Saúde no Brasil

Por Anaísa Banhara (*) | 22/02/2024 09:28

Ao refletir sobre o acesso à saúde no Brasil, uma questão persistente ecoa em nossa mente: qual é o preço de uma vida? Essa pergunta, que inicialmente pode parecer absurda, nos faz questionar a realidade de um sistema de saúde marcado por desafios e contradições. A Constituição de 1988, marco legal que estabeleceu as bases do sistema de saúde brasileiro, defende o direito de todos à saúde, mas a efetivação desse princípio ainda é um desafio.

 A Constituição de 1988, conhecida como a "Constituição Cidadã", assegura em seu artigo 196 que a saúde é direito de todos e dever do Estado. Estabelece, assim, os fundamentos do Sistema Único de Saúde (SUS) e sua missão de garantir o acesso universal e igualitário aos serviços de saúde. Apesar da clareza da Constituição, as desigualdades regionais se destacam como um obstáculo para o acesso à saúde. Enquanto algumas regiões contam com infraestrutura adequada, outras enfrentam a escassez de recursos e profissionais, tornando o acesso à saúde um desafio.

 A judicialização da saúde se tornou uma prática comum no Brasil, à medida que cidadãos buscam na justiça o acesso a tratamentos e medicamentos que o sistema público não fornece. Essa prática, embora legítima, evidencia a falha do sistema em atender às necessidades de todos. O custo da vida e da saúde se entrelaçam em um dilema complexo. Muitos brasileiros se veem obrigados a gastar uma parte significativa de sua renda para obter tratamentos de qualidade, revelando que, de fato, há um preço para a vida em um sistema que deveria garantir esse direito.

 O acesso à saúde de qualidade requer investimentos contínuos, tanto em infraestrutura quanto em recursos humanos. A Constituição estabelece a saúde como um direito fundamental e um dever do Estado, o que implica na necessidade de investimentos significativos. A conscientização da população sobre seus direitos e a participação ativa na defesa do acesso à saúde são elementos fundamentais para pressionar o Estado a cumprir sua obrigação constitucional.

 O Brasil enfrenta o desafio de conciliar as demandas crescentes por serviços de saúde com recursos limitados. O futuro do acesso à saúde no país dependerá de decisões políticas, investimentos e esforços para garantir que o preço de uma vida não seja determinado pela capacidade de pagamento, mas sim pelo respeito aos princípios constitucionais. Em um país onde o direito à saúde está consagrado na Constituição, a pergunta "qual é o preço de uma vida?" deve nos lembrar do compromisso de assegurar a todos uma vida plena e com saúde, independentemente de sua origem, classe social ou local de residência. Essa é a essência da missão do SUS e um desafio que a sociedade e o Estado brasileiro devem continuar a enfrentar.

Anaísa Banhara

Nos siga no Google Notícias