ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  21    CAMPO GRANDE 24º

Economia

Licitação de ponte entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta é adiada novamente

Ministério de Obras do Paraguai adiou abertura de envelopes em 15 dias a pedido de empresas interessadas

Por Ana Paula Chuva e Caroline Maldonado | 01/07/2021 13:39
Local onde será construída a ponte sobre o Rio Paraguai. (Foto: Divulgação | Governo de MS)
Local onde será construída a ponte sobre o Rio Paraguai. (Foto: Divulgação | Governo de MS)

O Ministério de Obras Públicas do Paraguai adiou a abertura dos envelopes para licitação da construção da ponte entre Carmelo Peralta e Porto Murtinho, sobre o Rio Paraguai. Em maio, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou que as obras da ponte seria relicitadas.

O processo licitatório foi suspenso pelo presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, no dia 14 de março. Ele decidiu redirecionar os US$ 30 milhões que iriam para o projeto para a área da saúde, por conta da pandemia do coronavírus.

De acordo com o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, hoje seria feita a abertura dos envelopes, após a relicitação, mas ontem o Ministério de Obras do Paraguai adiou o processo por mais 15 dias.

“São 15 empresas interessadas e elas apresentaram um pedido de postergação para abertura desses envelopes. Então ficou definido que no dia 14 de julho às 14 horas será feita essa abertura, dando uma oportunidade para que essas empresas melhorem as propostas. Mas não vejo como uma situação negativa isso foi salutar para o Ministério de Obras do Paraguai”, disse Verruck.

Ao Campo Grande News, o secretário explicou ainda que feita a abertura das propostas, isso vai para a comissão mista que fará a homologação.

“Continuo com a expectativa que no mês de setembro nós temos condições de fazer a assinatura do contrato e lançamento oficial da obra de construção da ponte. Então, não me pareceu que esses quinze dias tem algum comprometimento em termos de cronograma”, explicou o titular da Semagro.

"E lembrando que essa obra é fundamental. Não existirá a rota Bioceânica se nós não tivermos a ponte. O recurso está segurado e agora a licitação continuará, finalizando no dia catorze de julho", completou Jaime.

A obra da ponte foi orçada em US$ 82 milhões e será paga com recursos da Itaipu Binacional. O prazo de construção é de três anos e ela será a 3ª união física entre o Brasil e o Paraguai, depois da Ponte da Amizade (em Ciudad del Este - Foz do Iguaçu) e da Ponte da Integração (Presidente Franco - Foz do Iguaçu).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário