ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 24º

Economia

Transporte e habitação pesam no bolso e Campo Grande tem a 5ª maior inflação

Os custos subiram menos em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Por Caroline Maldonado | 09/06/2021 12:18
Com aumento constante nos preços dos combustíveis, as pessoas estão gastando 9,28% a mais com transporte (Foto: Paulo Francis)
Com aumento constante nos preços dos combustíveis, as pessoas estão gastando 9,28% a mais com transporte (Foto: Paulo Francis)

Os números revelam aquilo que a população de Campo Grande já sente no bolso e reclama a todo momento: custos cada vez mais altos com transporte e moradia. Desta vez, a pesquisa que calcula a inflação aponta uma alta de 3,9% nos preços de modo geral, nos últimos 12 meses. Com aumento constante nos preços dos combustíveis, as pessoas estão gastando 9,28% a mais com transporte.

Campo Grande é a quinta no ranking das capitais com maior inflação período, perdendo apenas para Aracaju, com alta de 3,95%; Curitiba, 4,14%; Rio Branco, 4,42% e Fortaleza, 4,50%.

Para piorar, os custos com habitação subiram 5,31% e até as roupas estão mais caras, em Campo Grande, com alta de 3,86%, conforme divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Juntando todas as capitais do Brasil, a inflação no último ano é de 3,2%, ou seja, o índice de Campo Grande ultrapassa a média nacional.

Custos com Educação aumentaram 3,84%, enquanto artigos de residência acumulam alta de 3,79%. Depois vêm saúde e cuidados pessoais, com inflação de 2,77%; despesas pessoais com 1,56%; alimentação e bebidas com 0,49% e, por fim, o que menos encareceu foi comunicação com aumento de 0,15%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

As capitais onde os preços subiram menos são São Paulo, com alta de 2,77%; Rio de Janeiro, 2,80% e Brasília, 3,01%. Os piores índices são de Curitiba 4,14%; Rio Branco, 4,42% e Fortaleza, 4,50%.

Na comparação entre abril e maio, a alta nos preços de modo geral chegou a 0,97%, em Campo Grande, sendo a décima primeira no ranking entre as capitais. Em primeiro lugar ficou Brasília com inflação de 0,27%, seguida de Belém com 0,48% e Aracaju com 0,62%. As capitais com maior alta foram Fortaleza, 1,10%; São Luís, 1,10% e Salvador, 1,12%.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário