08/12/2018 10:44

Com R$ 3 milhões por mês, prefeitura já tapou 15 mil buracos, diz prefeito

Marquinhos diz que recapeamento depende de recurso que está sendo buscado no BNDES

Bruna Pasche e Mirian Machado
O prefeito Marquinhos Trad (PSD), afirmou em entrevista coletiva na manhã deste sábado (8), que enquanto não houver dinheiro, as vias da Capital não serão recapeadas. O prefeito Marquinhos Trad (PSD), afirmou em entrevista coletiva na manhã deste sábado (8), que enquanto não houver dinheiro, as vias da Capital não serão recapeadas.

As vias de Campo Grande ainda não têm previsão para serem recapeadas por falta de dinheiro, segundo o prefeito Marquinhos Trad (PSD). Gastando R$ 3 milhões por mês com o tapa-buraco e com 15 mil buracos já tapados, a solução paliativa continua até que consiga um empréstimo com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

“Nós já tapamos 15 mil buracos do tamanho de uma tampa de bueiro, isso equivale a apenas 1km de via recapeada, por isso no momento não compensa tanto recapear, isso só vai acontecer quando tivermos dinheiro e não temos, então vamos continuar com o tapa-buracos”, disse.

Marquinhos explicou ainda que a Prefeitura tem R$ 3 bilhões para receber em impostos e tributos e que parte desse dinheiro vem do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), mas que de 10 contribuintes, quatro deixam de pagar. “Enquanto isso estou tentando recursos com o BNDES, mas está um pouco difícil porque assim como quando você vai pegar um empréstimo em qualquer banco eles querem olhar seu histórico de pagamento, o Banco Nacional também quer, eles geralmente olham os últimos dois anos e o nosso histórico nesse período não é dos melhores”, comentou.

Cobrado por toda a população, Trad diz que sabe que o problema dos buracos não é de apenas conforto para os veículos, mas que chega a ser de saúde pública causando acidentes e de orçamento financeiro, por prejuízo causado aos motoristas. “As pessoas falam que eu estou jogando dinheiro fora com o tapa-buraco, mas então tenho que deixar 12, 15 mil buracos abertos para recapear 1km de via, não tem como”, concluiu.

Até o final de seu mandado, a expectativa é de que os bairros Rita Vieira, Nova Campo Grande e Jardim Noroeste sejam asfaltados, além da recuperação de 40% das principais vias das sete regiões urbanas da Capital. “A nossa parte estamos fazendo, talvez não na velocidade que vocês queriam, mas como podemos”, finalizou.

imagem transparente