25/03/2019 16:48

Morre indígena que ajudou a elaborar Constituição e presidiu conselhos

Eduardo Barbosa Pereira teve complicações após dengue e pneumonia, segundo o filho Sander Barbosa

Mayara Bueno
Eduardo ao lado de Natielly, filha de Sidney. (Foto: Divulgação/Sidney Albuquerque).Eduardo ao lado de Natielly, filha de Sidney. (Foto: Divulgação/Sidney Albuquerque).

Morreu aos 78 anos o indígena Eduardo Barbosa Pereira, da etnia guarani-kaiowá, em Campo Grande. Segundo o filho Sander Barbosa Pereira, o pai sofreu uma parada cardíaca e insuficiência respiratória na noite de domingo (dia 24), após apresentar quadros de dengue e pneumonia. Ele estava internado no Hospital Militar da Capital.

Na trajetória de Eduardo constam a luta por regularização fundiária e também a participação na elaboração da Constituição de 1988, entre outros feitos todos voltados à questão indígena em Mato Grosso do Sul e no País.

“Na Constituição Federal, ele apresentou propostas que hoje formam os artigos 231 e 232, que tratam da demarcação e questão da cultura indígena”, afirmou o filho.

A vitória mais recente que o pai ajudou é sobre a regularização da terra indígena Água Bonita, próximo à região do Tarsila do Amaral, norte da Capital. Segundo Sander, o governo reconheceu a área, enviou o projeto de lei que foi aprovado na Assembleia Legislativa e, agora, resta a entrega do título para a associação de moradores.

Eduardo não teve tempo de ver o mesmo resultado nas comunidades Vila Romana e Vila Bordon, mas estava em busca desta regularização também. “Ele tinha dado encaminhamento. Mas vamos continuar a caminhada dele”. O indígena presidiu os Conselhos Municipal e Estadual da Defesa dos Índios por 12 anos.

Companheiro na militância, o indígena Sidney Albuquerque, lembra que acompanhou a trajetória do líder quando ambos compuseram o Conselho Municipal. “Respeitamos a luta dele, estou muito triste”.

 

imagem transparente