06/12/2018 07:04

Você votaria em um robô para deputado?

Mário Sérgio Lorenzetto
Você votaria em um robô para deputado?

Um informe da OCDE e do FMI revelou em agosto de 2018 que 45% dos postos de trabalho atualmente existentes são suscetíveis de ser automatizados e que 10% desses mesmos empregos já se encontram em processo de extinção. Todavia, para que os trabalhadores da cidade e dos campos não pensem que suas funções são as únicas que podem ser assumidas por máquinas, androides e outros artefatos digitais, um grupo de cientistas e técnicos consideram que o trabalho de um parlamentar é o que têm mais possibilidades de ser substituído por uma inteligência artificial. Eles, talvez jocosamente, entendem que um deputado-máquina talvez não chegue a ser tão artificial quanto o humano e, concluem, é provável que o deputado-máquina seja mais inteligente.

Você votaria em um robô para deputado?

Vote em Michihito Matsuda.

A questão principal é que essa ideia já não pertence ao mundo da imaginação ou da comédia. Tornou-se realidade em 15 de abril de 2018. Um robô ficou em terceiro lugar nas eleições distritais do Japão. Michihito Matsuda - de aparência prateada - conseguiu 4.013 votos e esteve próximo de se eleger, em Tama, um distrito de Tóquio de 150.000 habitantes. Qual era o slogan da campanha de Michihito? "A inteligência artificial pode mudar Tama".
Ainda que seus criadores não admitam, tudo indica que a ideia de lançar Michihito é originária da série britânica "Black Mirror". Nela, um personagem de desenho animado - um urso - de nome Waldo, se apresentou como candidato às eleições de Stenteford logo depois de ter triunfado como apresentador de um programa que entrevistava políticos (uma boa ideia para a Rede Globo). Waldo não era propriamente um androide, mas aquele episódio de Black Mirror - "Waldo Moment" - introduziu a possibilidade de apresentar uma criatura artificial. Waldo é bem mais interessante que um parlamentar brasileiro pois tinha ideias. Bem diferente de quem só demonstra alguma ação quando está no modo "papagaio de pirata", sob aplausos, chacota ou vaia.

Você votaria em um robô para deputado?

Uma "pessoa eletrônica" deve ter direitos e deveres?

Atualmente, existem algo como 1,7 milhões de robôs disseminados pelo mundo e por isso mesmo o Parlamento Europeu criou um grupo de trabalho da Comissão de Assuntos Jurídicos sobre as questões relacionadas com a inteligência artificial e a robótica. Não obstante, até agora os principais temas de discussão dos europarlamentares se reduzem a questionar se os robôs têm direitos, se devem ser responsáveis civis em casos de prejuízos a terceiros ou se devem ser cobrados maiores impostos a seus proprietários. Ainda não há respostas para tais questões. Mas o Parlamento Europeu pariu uma nova definição para os robôs, agora eles são "pessoas eletrônicas". Para quem já votou no rinoceronte Cacareco, no palhaço Tiririca e assemelhados, não deve ser difícil escolher um robô. Ou a melhor ideia é mesmo votar no robô Matsuda, fora da raia de protesto?

imagem transparente