10/01/2013 07:59

Bom Pastor, a avenida que virou o point gastronômico do bairro Vilas Boas

Anny Malagolini
Avenida Bom Pastor é endereço de bares, restaurantes, pizzarias, mercados, entre outros negócios voltados à gastronomia. (Foto: João Garrigó)Avenida Bom Pastor é endereço de bares, restaurantes, pizzarias, mercados, entre outros negócios voltados à gastronomia. (Foto: João Garrigó)

Campo Grande começa a ter um novo endereço gastronômico, a avenida Bom Pastor, no bairro Vilas Boas. Opção ao Centro da cidade, o local vem atraindo público nos últimos meses.

Há 4 anos, o empresário Alexandre Silva de Paula, 29 anos, nem imaginava o sucesso que a pizzaria dele iria fazer. “A gente viu que aqui tinha necessidade, não acreditávamos muito. Foi uma aposta”. No ultimo ano, a clientela quadriplicou.

Na mesma avenida, o proprietário de uma lanchonete especializada em sanduíche árabe, Marcos Antônio Arioli, confirma que o endereço vem fazendo sucesso e impulsionando o negócio.

O motivo, apontou, pode estar relacionado ao aumento de moradores na região. A Bom Pastor não fica tão próxima do Centro, é verdade, mas está bem localizada. É rota, por exemplo, de muitos motoristas que saem da Eduardo Elias Zahran, uma das avenidas mais conhecidas e movimentadas de Campo Grande.

“Há um ano e meio eu visualizei o sucesso da rua. Foi uma aposta certeira”, ressaltou Marcos.

Cristiane Batista, de 39 anos, frequenta o local pelo menos uma vez por semana, e reconhece que a rua começa a se transformar, ganhar nova cara. “Vale a pena. O ambiente é familiar”, afirmou.

A avenida, que concentra bares, restaurantes, mercados, lanchonetes, lojas de roupas, academia, pizzaria entre outros negócios, virou o point do bairro Vilas Boas.

Além dos próprios moradores e dos visitantes, a escola instalada nas proximidades faz o fluxo aumentar. Congestionamentos e filas duplas começam a virar reclamação. Contadora, Andrea Silva Ferreira, de 39 anos, se sente incomodada, mas reconhece que o desenvolvimento valoriza o local.

Vizinhos de bairro, moradores do Rita Vieira, o casal Elaine Benites, de 28 anos, e Eder Campos, de 25 anos, sempre fazem uma visita à avenida mais conhecida da região.

A explicação é simples, prática. “Aqui é acessível, nem tanto pelo preço, mas pela praticidade. Prefiro vir aqui a ter que atravessar a cidade para jantar”, afirmou Elaine.

imagem transparente