A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


17/09/2015 06:00

Bernal faz 22 dias e ainda sem sete secretários

Edivaldo Bitencourt

Incompleta – Ao completar 22 dias no cargo, o prefeito Alcides Bernal (PP) continua com a equipe incompleta. Das 13 secretarias, sete continuam sem titulares. E duas continuam sob o comando de interinos. E nas autarquias e fundações, só uma, a Emha, está com titular, Dirceu Peters.

De novo – Bernal enfrenta o mesmo problema que teve na primeira oportunidade no comando do município. Antes de ser cassado, ele permaneceu por 13 meses sem nomear o chefe de gabinete. Agora, pastas importantes, como Educação e Obras, continuam sem comando.

Poder – O secretário com maior influência na atual administração é o de Governo. Paulo Pedra conseguiu emplacar praticamente toda a equipe e ainda conseguiu emplacar o diretor-presidente da Agência Municipal de Habitação, o arquiteto Dirceu Peters.

Nem extra – Nesta quarta-feira, o prefeito até publicou um Diário Oficial de Campo Grande extra, mas continua com a equipe incompleta. A edição adicional só publicou a relação dos demais integrantes da Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle.

Pago, mas... – Bernal assumiu, ontem, o compromisso de pagar o reajuste de 13,01% no piso dos professores da rede municipal. No entanto, ao ser questionado pelo vereador Ademar Vieira Junior, o Coringa (PSD), ele fez um adendo, só paga se a prefeitura tiver dinheiro disponível em caixa.

Patada – O prefeito, que já foi à Justiça ao ser chamado de burro pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB), foi ríspido com Coringa. Ele disse que “educação vem de casa e os valores morais e intelectuais e morais se adquirem com a vida”. Teve gente que viu crítica indireta ao parlamentar.

Não é assim – O deputado estadual Lídio Lopes (PEN) avalia que Bernal não poderia ter voltado ao cargo. Ele tem o mesmo entendimento da Câmara Municipal, que o progressista não deveria voltar ao cargo porque foi candidato a senador nas eleições do ano passado.

Caça as bruxas – Lídio acusou o prefeito de repetir a política da primeira edição: promover um caça as bruxas na administração municipal. “É como se uma raposa fosse cuidar do galinheiro”, afirmou. Ele disse que a população não tem condições de agüentar até 2016. “Teria que ter uma eleição indireta ou um juiz assumir a prefeitura, como ocorreu em Dourados”, defendeu Lídio, que é desafeto de Bernal.

Esperança – O presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi (PMDB), ainda tem esperanças de que o deputado estadual Marquinhos Trad seja o candidato do partido a prefeito da Capital em 2016. “Não temos outro nome com o mesmo potencial que ele, que tem um grande apelo popular”, reconheceu.

Eleições – Os partidos aguardam a sanção da reforma política pela presidente Dilma Rousseff (PT) para começar a definir o futuro. Caso ela não vete, a janela para mudar de partido passa a ser até março de 2016. Agora, se não houver mudança, os candidatos devem definir o rumo até o fim deste mês e ainda de acordo com as regras atuais, ou seja, só vale partido novo para não perder o cargo.

(colaboraram Antonio Marques e Leonardo Rocha)

Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...
Partidos fazem "fila" por Takimoto
Desejado - Na mira do PDT para perder o mandato, o deputado estadual George Takimoto já tem fila de interessados em seu passe na Assembleia Legislati...


Campo Grande vai parar novamente...vem de uma péssima gestão com o Olarte caminhando para um desastre total, sob o comando do Bernal. Político sem experiência administrativa, truculento, centralizador: e dotado de uma lentidão assustadora, com certeza vai levar nossa capital ao caos total.
 
Araujo em 17/09/2015 09:09:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions