A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


11/09/2015 06:00

Genro de Olarte está de licença médica e pode ser punido

Edivaldo Bitencourt

Licença – Daniel Elias Daige, genro do prefeito afastado, Gilmar Olarte (PP), estava de licença médica. De perna quebrada, ele está afastado do serviço e não poderia ter acesso especial ao Gaeco para prestar depoimento sobre a Operação Coffee Break. O rapaz e o advogado Jail Azambuja entraram e saíram pela porta lateral para fugir do assédio da imprensa.

Irregular – O MPE (Ministério Público Estadual) reconheceu que o “jeitinho” foi errado. O órgão informou que Daige pode ser punido logo após retornar aos trabalhos na Procuradoria Geral de Justiça, na segunda-feira.

Exemplo – A vereadora Carla Stephanini (PMDB) não recorreu à artimanha para fugir da imprensa. Apesar de ser irmã do secretário geral do MPE, Rodrigo Stephanini, ela entrou pela porta da frente do Gaeco e não fugiu da imprensa.

Novo recurso – Mario Cesar Oliveira da Fonseca (PMDB) entrou com mais um recurso para tentar retornar ao cargo de vereador e de presidente da Câmara Municipal. O pedido foi, ontem, para análise do desembargador Júlio Roberto Siqueira Cardoso.

Semana – O ex-governador André Puccinelli (PMDB) e o ex-vereador Cristovão Silveira encerram, hoje, os depoimentos da semana no Gaeco. Eles vão depor na Operação Coffee Break, que investiga a compra de votos para cassar o mandato de Alcides Bernal.

Clima quente – Os vereadores tiveram sessão tensa nesta quinta-feira. Coringa (PSD) cobrou merenda nas escolas e creches. A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) saiu na defesa de Bernal e lembrou o apelido do antecessor, Gilmar Olarte, que era chamado de Goiano, conforme grampo telefônico da Polícia Federal na Operação Lama Asfáltica.

Apelidos – O vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), saiu em defesa de Olarte com ataque. Ele disse que Luiza era “catraquinha”, fazendo alusão ao fato ocorrido antes de Bernal ser cassado, quando a parlamentar pulou a catraca do ônibus durante evento.

Explicações – A Câmara Municipal voltou a ter papel mais ativo. Ontem, os vereadores aprovaram dois requerimentos cobrando explicações do município. Um pediu esclarecimentos sobre a merenda que estragou no depósito da prefeitura. O outro pede o levantamento detalhado das obras paradas.

Atraso – O vereador Edil Albuquerque (PMDB) surpreendeu ao reprovar a aprovação dos requerimentos. Ele explicou que o pedido atrasa o trabalho nas secretarias, que são obrigadas a parar para atender aos questionamentos da Câmara Municipal.

Exemplo – Aliado de sempre de Bernal, o vereador Marcos Alex (PT) ficou entusiasmado com a defesa de Edil, que foi líder de Gilmar Olarte no legislativo. O petista brincou e defendeu a nomeação de Edil para o mesmo cargo na atual gestão. Alex era o líder do Governo na gestão anterior de Alcides Bernal.

(colaboraram Antonio Marques e Paulo Yafusso)

DEM e a disputa entre André e Reinaldo
Já escolhi - Sobre a declaração de Puccinelli que estaria "namorando" o DEM, o deputado Zé Teixeira fez brincadeira para dizer de qual lado da disput...
Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions