A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


02/09/2015 06:00

Universidade Católica troca de comando pela primeira vez

Edivaldo Bitencourt

Mudança – A UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) vai trocar de reitor pela primeira vez em 22 anos de história. Criada em 1993, a partir da FUCMAT, a instituição substituirá o padre José Marinoni pelo padre Ricardo Carlos. Marinoni vai para Brasília atuar na Cisbrasil.

Oposição – A oposição ao prefeito Alcides Bernal (PP) foi reduzida de forma drástica na Câmara Municipal. Da maioria absoluta, com 23 dos 29 vereadores em 2013, o grupo oposicionista foi reduzido a pó após as operações da Polícia Federal e do Gaeco.

Mais forte – No retorno ao comando da prefeitura, Bernal ficou mais forte no legislativo. Além de ter mais do que seis aliados, ele passou a ver os adversários a se identificar como “independente” no legislativo municipal.

Emblemática – A conversão mais emblemática é a do médico Eduardo Cury (PTdoB). De adversário ferrenho do prefeito, ele passou a ser um aliado quase estratégico. No discurso de posse, ontem, ele prometeu “abraçar Campo Grande” e ajudar Bernal a resolver os problemas da cidade.

Titulares – O prefeito da Capital ainda não nomeou nove secretários municipais. Continuam vagos cargos importantes, como os titulares das secretarias de Educação, Obras, Assistência Social, Desenvolvimento Econômico e Segurança Pública.

Certos – O major do Corpo de Bombeiros, Luidson Noleto, é nome certo para a vaga de Valério Azambuja na Secretaria de Segurança Pública. A chefia de gabinete deve ficar com o delegado Valmir Moura Fé. Darleng Campos deve retornar para a Sedesc.

Incógnita – O grande mistério é o nome do novo secretário municipal de Infraestrutura. Com a saída de Semy Ferraz, que é do PT e esteve com Bernal desde a campanha, deixou um vácuo na administração progressista. Ele não volta porque deixou o PT e faz parte do grupo, segundo a PF, que articulou a cassação de Bernal.

Decisão - O deputado estadual Eduardo Rocha afirmou que os vereadores do PMDB vão decidir se serão base, oposição ou independentes na gestão de Bernal. Ele ressaltou que o prefeito precisa adotar uma nova postura desta vez. “Espero que ele tenha mudado, não se achar o soberano, senão vai brigar com todo mundo de novo”, aconselhou.

Sonho - O deputado Amarildo Cruz afirmou que ainda é cedo para o PT avaliar se pode no futuro, fazer uma chapa com Bernal em 2016. Ele lembrou que o partido precisa fazer discussão interna antes de definir qualquer posição, e que neste momento tudo não passa de suposição.

Própria – Já o deputado estadual Pedro Kemp disse que é importante o PT ter candidatura própria a prefeitura. Para Cabo Almi, isso depende muito de como Bernal vai administrar a cidade. Se ele estiver em condições de obter a reeleição, o PT pode indicar o candidato a vice-prefeito na chapa de Bernal

(colaboraram Alan Diógenes e Leonardo Rocha)

Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions