ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUARTA  23    CAMPO GRANDE 23º

Política

Na Câmara, Dom Dimas sugere audiência para ouvir pessoas sobre violência

Arcebispo de Campo Grande abordou o tema da campanha da fraternidade deste ano, que fala sobre superação da violência

Por Mayara Bueno | 15/03/2018 13:45
Arcebispo Dom Dimas na tribuna, à direita. (Foto: Izaías Medeiros/Câmara Municipal de Campo Grande).
Arcebispo Dom Dimas na tribuna, à direita. (Foto: Izaías Medeiros/Câmara Municipal de Campo Grande).

O arcebispo de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa, sugeriu à Câmara Municipal de Campo Grande a realização de um audiência pública para ouvir a população sobre violência. Nesta quinta-feira (dia 15), o líder religioso usou a tribuna da casa de leis para falar da campanha da fraternidade, que, neste ano, tem o tema "Superação da Violência".

Entre os temas abordados, a campanha fala sobre os tipos de violência direta, cultural e institucional e que elas são percebidas de formas diferentes, de acordo com a região onde cada cidadão vive.

"A violência percebida perto da Câmara, por exemplo, é uma, na região do lixão é diferente", afirmou e sugeriu, então, que a casa de leis promova audiência para ouvir os moradores sobre quais são os principais anseios em relação à segurança pública.

Ainda sobre a campanha, Dom Dimas ressaltou que existe a direta, quando existe agressão física, mas também a cultural com fomento ao racismo e tudo que diferencie pessoas por suas condições social, étnica e racial, além da institucional.

Neste último caso, é o tipo de violência cometido por autoridades, quando falta saúde pública, segurança pública, corrupção, mau uso do dinheiro público.

Na Capital, serão 11 grupos de trabalho para enfrentamento e reflexão sobre violência contra criança, mulheres, idoso, entre outros. Neste sentido, o arcebispo disse ser importante a realização de uma audiência pública.

Este ano, o arcebispo prevê uma ação para oferecer à população uma série de serviços e mostrar projetos feitos na periferia, como acolhimento de crianças, entre outros. A ideia é que a iniciativa ocorra na Cidade do Natal e receba o nome de "Cidade da Paz".