A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

12/04/2014 14:38

Preso a pedido do Gaeco em investigação sigilosa já teve condenação por roubo

Josemil Arruda e Bruno Chaves

O delegado João Eduardo Davanço, da Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco) de Mato Grosso do Sul, confirmou neste sábado que Salem Pereira Vieira foi solto ontem mesmo, mediante pagamento de fiança. “Foi preso só por posse ilegal de arma de fogo”, informou Davanço. Salem tem passagem pela polícia, por roubo.

A prisão teria ocorrido em apoio à ação desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) na manhã de sexta-feira em Campo Grande, com a notificação do prefeito Gilmar Olarte (PP) para esclarecer, principalmente, a atuação de Ronan Feitosa, seu ex-assessor quando era vice-prefeito e que também foi preso ontem.

Embora a atuação da Deco tenha decorrido de pedido do Gaeco de Mato Grosso do Sul, o delegado José Eduardo afirmou não ter conhecimento da operação conduzida pelo Ministério Público sul-mato-grossense. “Não tenho detalhes da investigação. Só demos apoio ao Gaeco na prisão”, declarou.

Salem Vieira já cumpriu pena por crime de roubo ocorrido em 2005. Segundo informação da Polícia Civil, ele chegou a fugir a Colônia Penal Agrícola em janeiro de 2007, sendo recapturado no dia 3 de outubro do ano seguinte, no Jardim Mansur, em cumprimento a uma mandado de prisão expedido pelo Poder Judiciário.

A investigação do Gaeco desencadeada ontem vem sendo realizada sob sigilo. O prefeito Gilmar Olarte garante que não tem envolvimento algum com os fatos investigados pelo promotor público Marcos Alex Vera, apontando, porém, que devem se referir a “vídeos” postados na internet. Há denúncias tanto de ataque a Olarte, responsabilizando-o pela orquestração da cassação de seu antecessor, quanto acusando Bernal de ilícitos.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions