A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

17/04/2015 11:22

Exportações de soja e carne bovina caem até 40% e açúcar e álcool cresce

Priscilla Peres e Caroline Maldonado
Exportações do Complexo Soja tiveram queda brusca em março. (Foto: Marcos Ermínio)Exportações do Complexo Soja tiveram queda brusca em março. (Foto: Marcos Ermínio)

Em março deste ano, as exportações do Complexo Soja caíram 42%, em relação ao mesmo mês do ano passado, em Mato Grosso do Sul. O Estado deixou de negociar 277,8 mil toneladas, equivalente a aproximadamente US$ 180 milhões, segundo o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

A analista de economia da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária), Adriana Mascarenhas, explica que para entender a redução é preciso olhar os dados do Complexo em separado. Só no primeiro trimestre de 2015, houve redução de 35% no volume de soja de MS exportado e no país, a queda é de 10,2%.

Adriana explica que o principal motivo dessa redução é que a China, nosso principal parceiro comercial, está voltado para a safra norte-americana. Além disso, no começo deste ano tivemos problemas logísticos, como a paralisação dos caminhoneiros e o incêndio próximo ao porto de Santos, que atrapalharam as exportações.

Porém, nesse mesmo período, a compra de farelo de soja Estado pelo mercado externo, cresceu 51% em março de 2015 comparado ao mesmo período de 2014. Enquanto que no país, as exportações deste produto cresceram 83%.

"Estamos exportando um produto com maior valor agregado e nossa demanda vem principalmente de mercados da Europa e Ásia, que utilizam o produto para compor rações animais", explica Adriana, ao dizer que a previsão é de que os números do Complexo melhorem em abril.

Consumo interno aquecido diminui as exportações.  (Foto: Marcos Ermínio)Consumo interno aquecido diminui as exportações. (Foto: Marcos Ermínio)

Bovinos - O Estado também reduziu a exportação de animais vivos e carnes, em março. O volume enviado para o exterior de carnes bovinas caiu 8,6%, com isso, o valor negociado no mês caiu de US$ 90,7 milhões para US$ 72,9 milhões. Já a receita de animais vivos, teve redução de US$ 146 milhões.

Adriana explica que a redução das exportações de animais vivos é motivada pela redução da oferta de bovinos. "Não estamos conseguindo atender nem a demanda interna, por falta de animais prontos para o abate, imagina o mercado externo. Até as indústrias estão com dificuldade para abater", explica.

Atualmente, apenas 20% de toda a produção brasileira de carnes é exportado para outros países, todo o restante (80%) é consumido pelo mercado interno, explica a especialista, Adriana Mascarenhas.

O complexo sucroalcooleiro teve alta de 256% nas exportações. (Foto: Divulgação/Internet)O complexo sucroalcooleiro teve alta de 256% nas exportações. (Foto: Divulgação/Internet)

Saldo – Na contramão das retrações dos produtos mais exportados por MS, outros mercados comemoram bom desempenho, que ajudou na recuperação da balança comercial de todos os produtos que vão para fora do país, mas não foi suficiente para impactar positivamente na balança do agronegócio.

Em março de 2014, o montante comercializado com outros países movimentou US$ 531,06 milhões, valor que caiu para US$ 384,82 milhões, em março de 2015, equivalente a 27%.

O complexo sucroalcooleiro teve alta de 256% nas exportações, passando de 36,2 milhões de toneladas, que movimentaram US$ 14,2 milhões para 128,9 milhões de toneladas, que totalizaram US$ 44,5 milhões, em março desse ano.

A indústria de produtos florestais também comemora aumento nas exportações. Foram exportados 48% a mais em março desse ano, na comparação com o mesmo mês de 2014. O volume passou de 144,8 milhões e toneladas, que levantaram US$ 71,6 milhões para 215,5 milhões de toneladas, que somam US$ 94,6 milhões.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions