ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

Aposentado perde carro ao cair no golpe do “envelope branco” na Capital

Edivaldo Bitencourt | 03/10/2013 16:13

Um funcionário público federal, de 48 anos, foi mais uma vítima do golpe do “envelope branco” em Campo Grande. Ele acabou entregando o veículo, avaliado R$ 14,5 mil, ao golpista no mês passado.

Este não é o primeiro golpe aplicado pelos estelionatários na Capital. Em outro caso, um empresário teve prejuízo de R$ 2 mil ao cair no golpe do falso depósito. Os bandidos depositam um envelope em branco no caixa eletrônico com o valor maior, depois ligam pedindo a devolução do dinheiro depositado a maior por “descuido”.

O drama do servidor federal começou após o anúncio do veículo Fox 1.0, ano 2006, no site Bom Negócio. Ele recebeu a ligação do suposto comprador no dia 21 de setembro deste ano. Apesar do número ser do Mato Grosso, ele se apresentou como empresário e dono de uma pousada em Bonito (MS).

Revelou que ia comprar o carro para a esposa e gostou do preço. Pediu o número da conta corrente no Banco Bradesco, onde “efetuou” o depósito de R$ 14,5 mil. Ele ligou 15 minutos depois e falou que tinha depositado o dinheiro, revelou a vítima.

Ele foi conferir o saldo na internet e verificou três depósitos, sendo dois no valor de R$ 5 mil e um de R$ 4,5 mil. Depois de 10 minutos, ligou novamente, pedindo o endereço para pegar o veículo.

O funcionário público agiu de boa fé e entregou o veículo para um suposto funcionário do golpista. Ele só levou o documento de porte obrigatório. Como a entrega ocorreu por volta das 16h30, a vítima só descobriu o golpe na segunda-feira, quando foi ao banco sacar o dinheiro. Os envelopes estavam em branco e o servidor se deu conta de que perdeu o Fox.

Na terça-feira, o estelionatário ligou de novo e, de forma debochada, admitiu que o servidor aposentado caiu num golpe. No entanto, tentou negociar a devolução do carro, que ainda estava em Campo Grande. Ele exigiu o pagamento de R$ 2,5 mil para devolve-lo. O servidor fez boletim de ocorrência na Polícia e tentou negociar com o bandido.

Eles chegaram a um acordo para a realização de dois pagamentos de R$ 1 mil em duas contas correntes diferentes o Bradesco. No entanto, a vítima não fez o depósito e não atendeu mais as ligações. Até o momento, a polícia também não encontrou o veículo.

O funcionário contou que decidiu contar a sua história para que outras pessoas evitem cair no golpe do “envelope branco”.

Nos siga no Google Notícias