A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

08/07/2012 13:04

Destroços de caça são recolhidos para investigação de acidente

Paula Maciulevicius

Corpo do oficial foi levado às 20h deste sábado para o Rio de Janeiro. O enterro será às 16h, no cemitério de Inhaúma

A área permanecia isolada. Além dos bombeiros, estavam militares com dois caminhões e uma retroescavadeira. (Foto: Rodrigo Pazinato)A área permanecia isolada. Além dos bombeiros, estavam militares com dois caminhões e uma retroescavadeira. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Militares da Base Aérea de Campo Grande estão recolhendo os destroços da aeronave Super Tucano A-29B, que caiu na manhã deste sábado, no Indubrasil, para análise das causas do acidente que matou o oficial da Marinha do Brasil, capitão-tenente Bruno de Oliveira Rodrigues, 32 anos.

Segundo informações colhidas no local, o trabalho está sendo realizado desde ontem. Três militares do Corpo de Bombeiros também estão no local que permanece isolado, fazendo a segurança em relação a possíveis incêndios.

Dois caminhões e uma retroescavadeira, além de cerca de 30 militares fazem o recolhimento.

De acordo com a assessoria da Aeronáutica, os destroços serão levados para o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) para verificação dos fatores contribuintes para o acidente. Dependendo da complexidade do caso, o relatório final pode levar até 1 ano para ficar pronto.

O corpo do oficial foi levado às 20h deste sábado para o Rio de Janeiro. O velório começou ainda nesta madrugada e o enterro será às 16h (horário do Rio de Janeiro), no cemitério de Inhaúma.

Aeronave caiu no início deste sábado. O oficial era o único ocupante. (Foto: Simão Nogueira)Aeronave caiu no início deste sábado. O oficial era o único ocupante. (Foto: Simão Nogueira)

Acidente - Testemunhas disseram à imprensa que viram o caça perder altura ao fazer manobra que lembra uma curva. O Super Tucano afundou dois metros e o corpo do piloto foi parar a 150 metros da aeronave.

A decolagem do caça foi na Base Aérea – distante cerca de cinco quilômetros do local da queda – e o destino da aeronave era a Serra do Cachimbo, no Sul do Pará. O Super Tucano saiu da Base Aérea de Campo Grande junto com outra aeronave, em voo que leva o nome de elemento. O caça que caiu era o líder.

Ambos aparelhos seguiam para o campo de prova Brigadeiro Veloso, em Cachimbo, para treinamento de uso de armamento.

Conforme nota oficial divulgada pela Aeronáutica, Bruno de Oliveira Rodrigues estava desde o início do ano passado em Campo Grande, onde fazia Curso de Líder de Esquadrilha da Aviação de Caça no Terceiro Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação da FAB, o Esquadrão Flecha.



Gostaria de informar ao Sr. Michel que conforme relatos anteriores da imprensa, o piloto ejetou o assento, porém, o seu paraquedas não abriu. Ademais, se não tivesse se ejetado, seu corpo com certeza não estaria distante 150 metros da aeronave.
 
Juvenal Coelho Ribeiro em 09/07/2012 09:44:00
Com todo respeito e desculpem a minha ignorância, os caças não possuem sistema de ejeção dos pilotos?
Pelo menos o oficial poderia ser salvo.
 
Michel Oliskovicz em 09/07/2012 08:48:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions