A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

17/06/2011 11:49

Há anos administrada de forma errada, Santa Casa busca 3º nome para direção

Aline dos Santos
Além de Lastória e Moussa, um terceiro nome será anunciado para gestão compartilhada. Além de Lastória e Moussa, um terceiro nome será anunciado para gestão compartilhada.

A junta interventora da Santa Casa de Campo Grande está em busca de um terceiro nome para a direção do hospital. Com a saída de Jorge Martins, que ocupava o cargo de diretor-presidente da junta administrativa, já foram anunciados os nomes de Antônio Lastória e Issam Moussa.

Mas em vez de dois, a gestão compartilhada será a três. Nesta sexta-feira, a secretária estadual de Saúde, Beatriz Dobashi, revelou que um terceiro nome será definido até a próxima semana. De acordo com ela, a sentença determinando a intervenção judicial na unidade hospitalar não estabelecia cargo de presidente da junta.

A sentença, que é datada de 2007, será aplicada na íntegra só agora, anos depois. “A sentença é muito clara. São nove postos de trabalhos a ser preenchidos”, afirma Dobashi.

A justiça definiu que os secretários estadual e municipal de Saúde como interventores. Outros três cargos de administradores deveriam ser ocupados por técnicos com experiência em administração hospitalar e quatro cargos para as diretorias técnica, administrativa, financeira e clínica.

A Santa Casa, que pertence à ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), está sob intervenção desde janeiro de 2005. Primeiro, por força de decreto municipal e depois por decisão da justiça. O prazo da intervenção termina em 2013.

Neste período, o posto de presidente da junta administrativa já foi ocupado por Rubens Trombini, Pedro Chaves e Jorge Martins. Depois de quase um ano à frente do comando da Santa Casa, Martins pediu demissão e deixou o hospital na última quarta-feira. Hoje, foi publicada a sua exoneração do cargo.

Ainda na quarta-feira, foi anunciado que a gestão do hospital seria compartilhada entre Antônio Lastória, atual diretor de atenção à Saúde da secretaria estadual, e Issam Moussa, que administrou a maternidade Cândido Mariano por oito anos. Os novos diretores participaram de reunião hoje na Santa Casa.

Continuidade – Sem críticas aos outros gestores do hospital, Beatriz Dobashi destacou a experiência dos novos diretores. “Os indicados tem grande vivência nesta área hospitalar”, afirma.

De acordo com ela, serão mantidos os processos seletivos já abertos e a reativação de leitos de CTI (Centro de Terapia Intensiva). “Não vai haver descontinuidade no atendimento à comunidade”, salienta.



Dr. Issam Moussa. A minha irma lembrou depois de chegar em casa, depois de ter
passado no Detran e o Sr. comentado que a conhecia de Corumba, sim, lembrou
tambem da aula de Ciencias e daquele bilhetinho mandado que caiu nas maos do Professor e lido por ele em voz alta...pois hoje assim que vimos a materia, tive a
intencao de dizer que confiamos na sua transparencia, Boa Sorte que os proteja.
 
Vera Lucia Dias Mikami em 17/06/2011 07:38:09
Edson.......já ouviu aquele DITADO o pior CEGO é aquele que não quer VER................essa intervenção até agora nada fez para melhorar a Santa Casa......a cada dia que passa "mais UM menos UM" e o problema só aumenta e a cada dia e o pior que junto com os pacientes que morrem por falta de responsabilidade MORRE um pouco da NOSSA SANTA CASA tambem........uma PASSEATA TALVEZ AJUDE...............
 
Vitoria Oliveira em 17/06/2011 07:09:06
Aconselho essa junta a pedir "SOCORRO" aos executivos que transformaram a Santa Casa de Porto Alegre - RS, de um hospital falido, caótico e quebrado, em um centro de referencia nacional na saúde. Será que eles sabem que existe uma Federação de Santas Casas no Brasil. Talvez o que falte é competencia, transparencia e profissionalismo.Nenhuma situação é impossível de se reverter. Só a MORTE!
 
Edson Freitas em 17/06/2011 02:47:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions