A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

14/06/2013 08:58

Governo estuda usar terra do tráfico para acabar com conflitos por áreas

Aline dos Santos
Reunião foi realizada  ontem em Brasília. (Foto: Gil Fereira/CNJ)Reunião foi realizada ontem em Brasília. (Foto: Gil Fereira/CNJ)

Uso das terras confiscadas do tráfico para indenizar os fazendeiros e a edição de nova portaria sobre o processo de demarcação de reserva indígena. As duas propostas são analisadas pelo governo federal para resolver o conflito fundiário em Mato Grosso do Sul.

Ontem, em Brasília, a disputa entre índios e fazendeiros foi tema de nova rodada de reunião no CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que divulga até o fim de julho um relatório sobre a situação do Estado.

Conforme a Agência Brasil, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, informou que o governo ainda não dispõe de um levantamento das terras confiscadas do tráfico que estariam disponíveis. “Há uma série de propostas. Nós vamos pegar todas as áreas em conflito em Mato Grosso do Sul e pensar como cada uma pode ser equacionada. Talvez não seja possível uma equação uniforme para todos os conflitos no estado”, disse.

Segundo o site de notícias do CNJ, o ministro informou que o governo está elaborando uma portaria, a ser editada pelo Ministério da Justiça, estabelecendo novas regras para reduzir os conflitos na demarcação de reservas indígenas. “Vamos fazer que o processo de demarcação siga passos mais seguros e evitar a judicialização”, afirmou.

A portaria prevê que outros órgãos de governo sejam ouvidos nos processos de demarcação, como a Embrapa e o Ministério do Desenvolvimento Agrário, além da existência de um processo prévio de mediação e solução de conflitos, para que não haja necessidade de recurso à Justiça.

Novas reuniões, a serem realizadas em Campo Grande, estão previstas para os dias 24 de junho, 9 de julho e 24 de julho. O conflito fundiário se agravou em Mato Grosso do Sul no mês de maio. Índios invadiram a fazenda Buriti, em Sidrolândia.

A ação de reintegração de posse resultou na morte do terena Oziel Gabriel, de 35 anos.Dias depois, o terena Joziel Gabriel, de 34 anos, foi baleado na coluna. Nesta semana, em Paranhos, foi assassinado Celso Figueiredo, de 34 anos. Para a Polícia Civil, este último crime não foi por conflito de terra.



Meus Deus, ate quando vamos admitir isso, índios depois de décadas vem reivindicar terras, sendo que eles não prestam mais para plantar nem milho ou mandioca; estão no mesmo sistema do MST, que desapropria terras, apropriam-se dessas e depois revendem. Puta de uma sacanagem, Força Nacional e PF tem que retirar e sem dó. Ai ai deixa só querer pegar meu terreno comprado com meu suor, e vim falar que é terra Indígena; vou mostrar onde é que ele vai plantar mandioca, milho e urucummmm...
 
Jefferson Thadeus em 14/06/2013 22:01:37
terra de indio é para virar mato mesmo !!!era assim antes dos invasores chagarem !!!agora se indio trabalha ou não isso fica a crite´rio deles !!!!a casa era deles ....ai chegaram os invasores e foram aldeando os indios !!!eles so estão lutando para reaverem o que ja eram deles !!estão em seu justo direito !!!sou descendente de italianos não tenho nada a ver com indios não !!mas verdade é verdade em qualquer lugar do mundo !!!os indios não chagaram aqui vindos de lugar nenhum ...eles ja estavam aqui !!!! quem comprou terra no brasil e não comprou de um indio!!! comprou de um invasor !! doa a quem doer!!!!
 
paulo costa em 14/06/2013 20:04:26
É UMA VERGONHA A ADIMINÍSTRAÇÃO PÚBLICA BRASILEIRA, POIS A CONSTITUIÇÃO, LEI MAIOR, ESTA SENDO DESCUMPRIDA, E QUE PARA SER CUMPRIDA, INVÉS DE MANDAR OS MILITARES DO EXÉRCITO, PARA O HAITI, QUE FIQUEM DANDO SEGURANÇA, E CUMPRIMENTO DAS LEIS INTERNAS DO NOSSO PAÍS, NEM A POLÍCIA FEDERAL, CIVIL, MILITAR E FORÇA NACIONAL, GERARÁ RESPEITO, É PRECISO POR O EXERCITO, MARINHA E AERONÁUTICA NAS RUAS, PARA VER O QUE ACONTECE, SÓ RESPEITO, O RESTO É RESTO, E O POVO NÃO QUEREM RESPEITAR, EXPERIMENTEM PARA VER, MEU CONSELHO, QUE DEUS ABENÇOE.
 
PEDRO ANTUNES BRAGA em 14/06/2013 13:31:29
Segundo o Censo 2010/IBGE " Os índios, apesar de representarem MENOS DE 0,5% da população brasileira, ocupam 505 terras JÁ DEMARCADAS, equivalentes a 12,5% do território brasileiro; 42,3% deles vivem fora das aldeias; 75% são alfabetizados." /// 1 - Pra que índio quer mais terra? Se nas que possuem ou não querem viver ou nelas nada produzem, nem para a própria subsistência!!! Diga-me uma aldeia, "umazinha" sequer que não dependa das cestas básicas distribuídas pela FUNAI. Índio não precisa de mais terra, precisa de assistência médica. Índio não precisa de mais terra, quer vaga na universidade (pelas cotas, claro).
 
RODRIGO FERREIRA em 14/06/2013 12:16:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions