A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

31/05/2013 09:39

Índios terena de 7 aldeias invadem Fazenda Esperança, em Aquidauana

Ângela Kempfer

Cerca de 500 índios da etnia terena, de sete aldeias de Aquidauana, invadiram na madrugada de hoje a Fazenda Esperança. O grupo quer a ampliação da terra indígena Taunay Ipegue.

A princípio, a ideia era fazer um bloqueio na rodovia, mas com a morte do índio Oziel Gabriel, ontem, em Sidrolândia, as famílias resolveram acampar na propriedade da família Alves Correa, que é dividida em Esperança 1, 2, 3 e 4.

A briga judicial entre fazendeiros e o povo terena é muito parecida com a situação da Fazenda Buriti, em Sidrolândia, onde ocorreu o conflito na quarta-feira.

Em Aquidauana, os índios vivem em pouco mais de 6 mil hectares, mas lutam pela ampliação para 33 mil. Essa área já foi identificada como indígena por estudos antropológicos e abrange todo o distrito de Taunay, que hoje tem 93 imóveis.

O proprietário de uma das fazendas, a Ipanema, recorreu ao TRF (Tribunal Regional Federal) e conseguiu suspender o processo de demarcação. Funai e Ministério Público Federal recorreram ao STF, mas o caso ainda não foi julgado.

Os terena resolveram entrar na fazenda Esperança, porque a propriedade é a que mais preserva resquícios dos ancestrais. Na área existe um cemitério indígena e vestígios da primeira aldeia terena de Mato Grosso do Sul.

Os índios que estão na fazenda Esperança vieram das aldeias Taunay, Ipegue, Colônia Nova, Água Branca, Imbirussu. Bananal e Lagoinha.

O grupo deu prazo até às 12h para o segurança e o capataz que cuidam da propriedade retirarem os pertences da sede. 



Há de saber àqueles que aqui chegaram fugindo covardemente de suas terras originais, por causas da guerras em seus países, que os Terena e os Guacurus lutaram ao lado das tropas do Cel. Carlos Camissão, (1860), formados por soldados goianos e mineiros muitos morreram por defenderam as terras sul matogrosense na Guerra do Paraguai. Depois chegaram os "turcos" pra apossar e legalizar as terras, montaram seus esquemas politicos, justiça e poder e hoje se dizem proprietários destas terras que custaram sangue. É só pesquisar a história e a cadeia dominial nos cartório criados por eles.
 
Carlos Lamarca em 31/05/2013 11:37:19
Eu gostaria de saber o que eles produzem nestas 6000 hectares????
 
Olivio Cavalcanti em 31/05/2013 10:54:43
É UMA VERGONHA ISSO, ATO DE TOTAL BRUTALIDADE ! Aonde já se viu... cadê os órgãos de proteção aos índios?
 
Andressa Santana Fonseca em 31/05/2013 10:54:33
já que é pra ir entregando tudo aos índios,deveremos entregar a nossa cidade campo grande também, porque aqui já foi terra dos índios temos até o parque indígena pra provar isso, se essa febre indígena não for parada vai acontecer muitas mortes ainda nesse estado.
 
valdenir nunes em 31/05/2013 10:51:35
Minha indignação a Funai e ao Cimi!

Essas 2 instituições ficam incentivando os Indios a não cumprirem a Lei, badernar, invadir propriedades privadas escrituradas pela união!

Está aí o resultado: MORTOS E FERIDOS
 
Lucas Lemos Monteiro em 31/05/2013 10:35:27
A FUNAI precisa ser responsabilizada pela morte do indio!!
 
Ricardo Almeida em 31/05/2013 10:02:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions