ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  10    CAMPO GRANDE 11º

Interior

Justiça condena e aumenta pena de homem que estuprou enteada por 6 meses

Quase todas as manhãs, o homem acordava a vitima e a levava para sala onde cometia os crimes

Por Mirian Machado | 06/07/2022 15:25
Município de Selvíria, onde estupro aconteceu. (Divulgação)
Município de Selvíria, onde estupro aconteceu. (Divulgação)

Um homem, de 35 anos, foi condenado 21 anos de prisão por estuprar a enteada de 11 anos por quase um ano frequentemente pela manhã. O homem acordava a vítima para praticar o crime. O caso aconteceu entre 2020 e 2021 em Selvíria, a 404 km de Campo Grande.

Consta no inquérito policial que entre março de 2020, início da pandemia, e janeiro de 2021 o homem, acordava a menina quase todos os dias, a levava para a sala onde a abraçava, tocava suas partes íntimas e a beijava. Também a forçava a praticar sexo oral e relação sem preservativo.

O caso foi descoberto após a criança, no dia 19 de janeiro de 2021, contar tudo à mãe. A mulher, após ouvir a confissão do marido, separou e foi embora com os filhos para Paranaíba, onde denunciou o caso.

O laudo médico constatou que a menina havia sido estuprada. O homem chegou a negar depois, mas ao pai da menina apresentou áudios em que o acusado confessava: “Eu sou um canalha pelo que eu fiz, você entendeu? Outra pela minha idade e por eu ser casado com a mãe dela, e ela ser novinha demais”.

Inicialmente o homem havia sido condenado a 18 anos e 3 meses de reclusão em novembro do ano passado, porém a defesa e a Ministério Público apelaram. A defesa pediu absolvição, enquanto o MP pedia a majoração da pena intermediária em 1/6 para cada agravante.

O recurso da defesa foi negado e o do Ministério Público aceito, por isso a pena foi aumentada para 21 anos de reclusão em sentença dada no fim do mês de junho.

Nos siga no Google Notícias