ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 19º

Política

CCJR arquiva projeto que proibia uso de aeronaves para dispersar veneno

Deputados aprovaram proposta do Executivo que autoriza o refinanciamento de dívidas de ICMS

Por Gabriela Couto | 10/07/2024 13:21
Reunião da principal comissão da Assembleia Legislativa aconteceu nesta quarta-feira (10) (Foto: Luciana Nassar)
Reunião da principal comissão da Assembleia Legislativa aconteceu nesta quarta-feira (10) (Foto: Luciana Nassar)

Foi arquivado por unanimidade, na CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) da Assembleia Legislativa, o projeto de lei do deputado estadual Pedro Kemp (PT) que alterava a legislação do uso de agrotóxicos no Estado, proibindo o uso de aeronaves para dispersar veneno nas lavouras.

Depois de uma longa argumentação do relator do texto Pedro Pedrossian Neto (PSD) os parlamentares acataram a inviabilidade jurídica, inconstitucionalidade material e conflito de princípios constitucionais da matéria. A proposta seguiu para o arquivo da Casa de Leis.

Já o governo do Estado conseguiu êxito na proposta que cria formas excepcionais de pagamento de créditos tributários relativos ao ICMS (Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação).

Segundo o relatório favorável do deputado Pedro Arlei Caravina (PSDB), trata-se de Refis para fatos geradores até 31 de dezembro de 2023, com descontos de até 80% para multas e de até 40% para juros. O relator rejeitou as emendas modificativas 1 e 2 por vício de iniciativa. Todos os integrantes da comissão aprovaram a proposta que segue para análise do plenário.

Deputados Pedro Caravina (PSDB) ao lado de Pedro Pedrossian Neto (PSD) (Foto: Luciana Nassar)
Deputados Pedro Caravina (PSDB) ao lado de Pedro Pedrossian Neto (PSD) (Foto: Luciana Nassar)

Na reunião de hoje, a presidente da comissão, Mara Caseira (PSDB), devolveu duas propostas de interesse do servidor público do Legislativo. Uma que promove a modernizações no Estatuto dos Servidores Públicos do Poder Legislativo do Estado de Mato Grosso do Sul, dentre elas a implementação do teletrabalho.

A outra altera o plano de cargos e carreiras do funcionalismo da Casa. Dentre as alterações está a extinção de 371 cargos efetivos, além de mais 54 cargos que serão gradualmente extintos à medida que vagarem, totalizando uma redução de 425 cargos. Essa medida, segundo a proposta, resultará em uma economia mensal de R$ 1.996.018,22 em despesas autorizadas. A proposta segue para a Ordem do Dia.

Mara também aprovou o relatório do projeto do Executivo, que altera a redação referente ao repasse do incentivo estadual aos agentes comunitários de saúde, de endemias, de vigilância e guardas de endemias, para sistematizar o aumento do valor. Outra matéria do governo do Estado que também teve parecer favorável e segue para ordem do dia foi a previsão da contragarantia à União em operação de crédito interna a ser celebrada entre a Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul) e a Caixa Econômica Federal.

Junior Mochi (MDB) emitiu parecer favorável ao projeto do deputado Paulo Duarte (PSB), acatando emenda substitutiva integral 001, que agora segue para Ordem do Dia. A matéria obriga as Empresas Prestadoras de Serviço Público no Estado de Mato Grosso do Sul a expedir notificação prévia ao usuário ao realizar vistoria ou manutenção técnica com interrupção do serviço.

Pedro Pedrossian emitiu pareceres a outros dois projetos. Um deles, de autoria do Executivo, aperfeiçoa as regras da cobrança do ICMS Presumido e o pagamento do tributo dos optantes do Simples Nacional. Com aprovação do parecer favorável, segue a Ordem do Dia.

O segundo autoriza o governo do Estado a contratar operação de crédito com a Caixa Econômica Federal, com a garantia prestada pela União, e dá outras providências, no que tange projetos de melhoria habitacional. A proposta recebeu parecer favorável e segue ao plenário.

Presidente da Comissão de Constituitção, Justiça e Redação, deputada estadual Mara Caseira (PSDB) (Foto: Luciana Nassar)
Presidente da Comissão de Constituitção, Justiça e Redação, deputada estadual Mara Caseira (PSDB) (Foto: Luciana Nassar)

Balanço – A comissão entregou hoje o balanço do primeiro semestre de 2024, em que divulgou que foram distribuídas 183 propostas, sendo 112 devolvidas com pareceres favoráveis, 29 com pareceres contrários e outros 14 projetos foram retirados.

De acordo com relatório da Secretaria Jurídica e Legislativa, do total distribuído durante as 20 reuniões realizadas pela Comissão, 155 foram Projetos de Leis, 1 Projeto de Emenda Constitucional (PEC), 7 Projetos de Decreto Legislativo (PDL), 6 Projetos de Lei Complementar (PLC) e outros 14 Projetos de Resolução (PR). Dos devolvidos com pareceres favoráveis, 90 eram Projetos de Lei, 1 PEC, 4 PDLs, 3 PLCs e todos os 14 PRs. Já com pareceres contrários foram 28 Projetos de Leis e 1 Projeto de Lei Complementar.

A presidente agradeceu o empenho de todos. “Sempre com muita responsabilidade e análise dos nossos assessores jurídicos, quero agradecer aos membros pela colaboração, pelo entendimento de, às vezes, precisar acelerar as discussões para, dentro das necessidades, atender aos projetos e as categorias. Cumprimos nosso papel e agradeço a todos que nos acompanham”, disse Mara Caseiro, que anunciou que se não houver pedido de reunião extraordinária a CCJR retorna no dia 7 de agosto.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias