A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

05/12/2013 12:50

Nelsinho rebate críticas e pede para Amarildo parar "de falar mentiras"

Kleber Clajus

O ex-prefeito de Campo Grande e atual secretário de Articulação, de Desenvolvimento Regional e dos Municípios, Nelson Trad Filho (PMDB), fez duras críticas ao presidente da CPI da Saúde, Amarildo Cruz (PT). Ele pediu ao petista que “pare de falar mentiras” sobre a administração peemedebista da Capital. Ele fez questão de relembrar “ficha corrida” do parlamentar que responde processo, movido pelo MPE (Ministério Público Estadual), por danos ao erário público avaliados em R$ 16 milhões.

“Ele falou que cometi improbidade administrativa, que concedi carta fiança para uma construtora financiada por banco falido. Pare de falar mentiras ao meu respeito que direi verdades sobre você, Amarildo Valdo da Cruz”, frisou Nelsinho no programa Povo na TV, da TV Campo Grande.

O peemedebista ressalta que Amarildo não possui motivos para questionar sua atuação enquanto prefeito, em especial na área habitacional, quando responde processo no período em que esteve à frente da AGEHAB (Agência de Habitação Popular do Estado de Mato Grosso do Sul), órgão em que o MPE detectou desvio de R$ 16 milhões.

Ao Campo Grande News, Nelsinho ressaltou que “nada ficará sem resposta e se preciso vamos a Justiça”. O ex-prefeito também diz já saber quem está por trás das articulações para “denegrir minha imagem e moral”.

“Descobri a quem ele está servindo, ao Amilton Cândido de Oliveira que era seu chefe de gabinete e hoje é diretor-presidente da EMHA (Empresa Municipal de Habitação), nomeado pelo prefeito atual”, afirmou Nelsinho.

Explicações – Em contrapartida, o peemedebista também aproveitou o momento para questionar os gastos da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde, da qual Amarildo foi presidente.

“Quero saber o que eles gastaram na CPI, onde, como foi à modalidade de contratação, quem foi contratado e quanto recebeu. Creio que ainda vamos descobrir muitas coisas e vamos ver se contratou dentro do que preceitua a lei”, alfineta Nelsinho.

CPI gastou R$ 350 mil em pouco mais de 6 meses de trabalho, calcula presidente
A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde, instaurada na Assembleia Legislativa, gastou R$ 350 mil em pouco mais de seis meses de trabalho p...
Por 4 votos a 1, CPI aprova relatório final proposto por Mochi
O relatório final da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde, na Assembleia Legislativa, foi aprovado por 4 votos a 1 na tarde desta segunda...



Amarildo Cruz pode estar respondendo um processo movido pelo MPE – Ministério Público Estadual por danos ao erário público que foram avaliados em R$ 16 milhões, todavia, de forma alguma isso responde à questão de improbidade administrativa levantada pelo Amarildo baseado em robustas evidências sobre a ingerência do ex-prefeito Nelsinho Trad. Somente sua incapacidade em explicar o escândalo chamado “Gisagate”, protagonizado pelo seu ex-secretário de Saúde de Campo Grande, Luiz Henrique Mandetta deveria ser o suficiente para iniciar um processo criminal.
 
Marcus Ranceford Hadley em 05/12/2013 16:55:17
“Ele falou que cometi improbidade administrativa, que concedi carta fiança para uma construtora financiada por banco falido. Pare de falar mentiras ao meu respeito que direi verdades sobre você, Amarildo Valdo da Cruz”, frisou Nelsinho no programa Povo na TV, da TV Campo Grande....Ta nervoso Nelsinho,relaxa,se não tem culpa sem stress prove na justiça e boa,e não fique só na ameaça chega a madeira nesse petista....não seja omisso fal o que sabe e boa e mostrema verdadeira cultura dos politcos do MS....MS é forte pelo seu povo porque seus politicos....
 
Israel Liam em 05/12/2013 16:02:39
Aprendeu com quem ?
Talvez tenha esbarrado ou estado por poucos minutos com o Sr. Prefeito.
-Bom Aluno, ne ?
 
Vera Lucia Dias em 05/12/2013 14:55:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions