ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 26º

Interior

Polícia fecha casa de prostituição e prende dona por exploração sexual

Durante a operação, uma garota de programa foi detida; agenda de anotações e cocaína foram apreendidas

Por Alana Portela | 18/03/2021 07:34
Sofá e espelhos que estão dentro da boate de prostituição, onde ocorreu a operação. (Foto: Divulgação)
Sofá e espelhos que estão dentro da boate de prostituição, onde ocorreu a operação. (Foto: Divulgação)

Uma mulher de 31 anos, que é proprietária de uma boate de prostituição foi presa por exploração sexual durante uma operação da Polícia Civil, em Costa Rica 305 quilômetros de Campo Grande. A prisão aconteceu na terça-feira (16), quando garota de programa também foi detida e o local fechado.

Apesar das prisões terem acontecido na terça-feira, a operação coordenada pelo delegado Caique Ducatti só foi divulgada ontem (17), conforme informações do site MS Todo Dia.

A polícia foi até o local onde encontrou sete garotas de programa sem máscara e proteção adequada para evitar a propagação da covid-19. Elas foram retiradas para fora da boate enquanto os policiais faziam buscas pelo estabelecimento.

No local, foi encontrado uma agenda com anotações da boate que foi apreendida pela políciam, que agora vai investigar se as outras garotas de programas que trabalharam no local anteriormente foram exploradas pela proprietária.

“As garotas de programa não têm liberdade para exercer a atividade em outros lugares, além de terem que fazer repasses do valor cobrado pelo programa sexual à proprietária”, informa o delegado Ducatti.

Durante a ação, a proprietária do local ficou gritando e se recusou a entregar o celular para polícia, que posteriormente foi apreendido. A empresária foi presa acusada de exploração sexual, infração de medida sanitária devido a aglomeração e por  não ter nenhuma proteção contra covid-19, porte de drogas, desacato, desobediência e por exercício ilegal da profissão.

“A existência de alvarás emitidos por autoridades municipal e estadual autorizando o funcionamento de ‘Bar ou Boate’ não permitem a manutenção de casa de prostituição e, consequentemente, a exploração sexual, pois se trata de crime previsto no art. 229, caput, do Código Penal”, afirmou o delegado.

Além da empresária, uma garota de programa, 25 anos, foi detida por desacato, desobediência e infração de medida sanitária. Isso porque, durante a ação, ela ficou desacatando os policiais. Ao saber que estava detida, ficou nervosa e precisou ser contida com o uso de algemas.

Conforme MS Todo Dia, no local os policiais encontraram um maço de cigarro e uma porção de cocaína embalada, pronta para ser vendida ou consumida.

Além do local, o delegado também informou que nos próximos dias mais operações serão realizadas em outras casas de prostituição da cidade. “Principalmente para reprimir o tráfico de drogas, furto, roubo, homicídio e outros crimes graves.  Vamos fechar todas as casas de prostituição existentes no Município de Costa Rica”, afirmou.

A proprietária da boate, a garota de programa e a porção de cocaína encontrada durante a operação foram encaminhadas para a delegacia da cidade, onde o caso será investigado.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário