05/01/2013 09:49

Prefeitura abre mutirão contra a dengue, com foco em 4 regiões

Gabriel Neris e Carlos Martins
Prefeito de Campo Grande passou pela região da Mata Segredo na manhã deste sábado (Foto: Luciano Muta)Prefeito de Campo Grande passou pela região da Mata Segredo na manhã deste sábado (Foto: Luciano Muta)

Foi lançado na manhã deste sábado (5) no UBSF (Unidade Básica de Saúde Familiar), do bairro Coronel Antonino, o Programa Saúde em Ação que priorizará quatro regiões de Campo Grande onde há maior índice de manifestação do mosquito da dengue. De acordo com o prefeito Alcides Bernal (PP), os agentes passarão pelas residências da Mata Segredo, que abrange os bairros Mata do Jacinto e Nova Lima, Batistão, Jardim Caiobá e Tiradentes.

Segundo o prefeito, o número diário de pessoas com sintomas da doença está entre 100 e 120. “Esta situação exige providência do poder público, estamos aqui para colocar a máquina para funcionar”. Em dezembro, o número de casos foi 4,5 vezes maior do que no mesmo período de 2011. O ultimo boletim epidemiológico do município aponta 994 casos confirmados de dengue em 2012, e 7.752 casos notificados. Três mortes foram confirmadas. O número de casos é quase o dobro do registrado em 2011, de 506 confirmados.

Bernal afirmou que mais duas mil pessoas participarão da ação, que envolverá várias secretárias, como Sesau (Secretária de Saúde), Seintrha (Secretaria de Infraestrutura, Transporte e Habitação), Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), além dos militares do Exército. Entre agentes epidemiológicos serão 415 pessoas.

De acordo com o coordenador do programa, Vitor Pires Rocha de Oliveira, médico da Sesau, o trabalho já começa hoje. “Contamos com o apoio da população, que abram suas casas para nos ajudar. Esperamos que cada um faça sua parte, é importante que mantenha suas casas e quintais limpos”, comentou.

O secretário de Saúde, Ivandro Fonseca, disse que o mutirão ataca emergencialmente o problema da dengue, porém a situação é grave. “É melhor prevenir do que remediar”. Fonseca recomendou que as pessoas que estiverem com sintomas de dengue, como febre e dores pelo corpo, devem procurar as unidades básicas de atendimento. O secretário afirmou que nas regiões mais afetadas, os atendimentos das unidades funcionarão das 7h às 18h.

No lançamento do programa, o prefeito de Campo Grande vestiu a camisa da campanha e pediu união no seu discurso. Bernal afirmou que o mutirão contará com mais médicos e agentes trabalhando e que o serviço de limpeza urbana será constante.

“Estamos vivendo um momento chuvoso. É um período que a dengue prolifera, falta iniciativa dos proprietários de terreno em fazer limpeza”, criticou. Bernal também atacou o ex-prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) afirmando que “faltou planejamento de quem dirigiu o município até o final do ano”.

O prefeito disse ainda que estão sendo notificados entre 100 e 120 moradores diariamente. “Esta situação exige providência do poder público, estamos aqui para colocar a máquina para funcionar”.

Bernal disse ainda que a ajuda pedida ao novo comandante da Base Aérea, coronel aviador Flávio Eduardo Mendonça Tarraf, teve resultado. Soldados devem ir às ruas a partir da próxima semana engajados na tarefa de diminuir o número de casos de dengue.

A Sesau avalia a decretação de estado de emergência em Campo Grande por conta dos casos de dengue. “É uma possibilidade que existe, mas só será confirmada ou descartada após o levantamento técnico feito por equipe ser concluído”, explicou o secretário de Saúde. Fonseca avalia que a situação é grave, merece atenção, e pode ser considerada como quadro de epidemia

imagem transparente