15/04/2019 13:02

Refém de religião, TV tem sobe e desce na audiência

Reinaldo Rosa

BALA NA AGULHA – Antiga forma de conseguir apoios de congressistas para a concessão de emissoras de rádios foi feita com base no compadrio. Com dois prefixos (AM e FM) na mala, radialista de Campo Grande instalou emissoras na mesma cidade do interior do Estado.

AO COFRE - Com duas faixas de FM –pós migração obrigatória- o radialista-empresário protagoniza concorrência dentro da própria casa. Há quem diga na cidade que ele “está aberto para possíveis negociações de um dos prefixos”. Simples assim.

FAMOSO QUEM – Outra forma de conseguir apoios localizados foi a ingerência política na distribuição de emissoras comunitárias. A desvalorização da prática radiofônica foi escrachada e serviu, também, para o aparecimento de discutíveis lideranças políticas de bairros da Capital.

BALAIO COMERCIAL - A fragilidade profissional e econômica de algumas comunitárias provocou a ‘incorporação’ desses prefixos por empresários da comunicação comercial. As peculiaridades que distinguem a atividade entre ambas são solenemente ignoradas. Simples assim.

TRADIÇÃO CIUMENTA – Tratada com desprezo por parte do diretor de jornal impresso, a edição ‘on line’ do próprio veículo suplantou a desconfiança (e falta de apoio) do chefe. Contidos, jornalistas comemoram o sucesso observado nas telas de computadores. “E a cara de b... do dirigente”, confessa um deles.

IDIOMA PRÓPRIO DE RÁDIO EVANGÉLICA – Recente visita a estúdio de rádio da capital revelou que a regra do “sem finalidades de credo político ou religioso” na prática é esnobada. “Bom dia” é trocado por “paz de Cristo” e, entre os profissionais, todos são “irmãos”. Só para registro.

VALEU A PENA? – Do total de 17 emissoras de Campo Grande, algumas ainda vivem sob soldo da locação a seitas evangélicas. Em determinados casos a inadimplência é notada e a quebra de contratos é barreira inegociável.

BAND NÃO VENCE ROMILDO – Dificuldades econômicas levaram a Band estabelecer contrato dos céus e sonhos com a igreja comandada por R.R. Soares. Amenizado período de penúria, a emissora da família Saad não consegue recuperar o valioso horário nobre nas mãos do missionário. Por mais que implore entendimentos nesse sentido.

REFLEXOS EM MS – A zona de conforto da entrega das atividades da emissora a grupo comandado pelo mesmo ‘bispo’, a TV Interativa segue a trilha. Obrigada a seguir orientação e programação da matriz paulista, a retransmissora local tem o mesmo sobe e desce na audiência.

VEM AÍ – Na dependência de detalhes técnicos da operadora Net, a transmissão de programas criados para bairros da Capital está próximo de entrar no ar. Diretor da produtora responsável pelos trabalhos garante já ter delineada a equipe de profissionais que fará nos trabalhos. Muita gente ‘das antigas’ voltará a dar as caras no vídeo via web.

Aposentaram tradicionais nomes da publicidade
FESTA DO INTERIOR – A 23ª edição do ‘Prêmio Morena de Criação’, da TV Morena, mostrou que tradicionais nomes da publicidade de MS estão aposentados. ...
Redes sociais denunciam falta do esporte no rádio e TV
PIORES CEGOS – O texto-reconhecimento do jornalista corinthano Edson Moraes sobre o Palmeiras provocou inúmeros comentários. Sem tomar partido dos me...
Ator diz que personagem “morreu” por perder contrato
RACISMO? - Em vídeo publicado no Instagram, Nando Cunha refuta a versão do SBT de que a morte de seu personagem já estava prevista na sinopse do folh...
Informativos “pasteurizados” no dial e na telinha em MS
BRAZUCA GOZADOR – Departamento de esportes da Rede Globo não atentou para mania nacional de azucrinar temas importantes. Desculpas esfarrapadas não c...
imagem transparente