24/11/2018 10:18

Principal de Bonito, Rio Formoso também tem lama acima do normal

Semana passada, situação foi constatada no Rio da Prata, que ficou irreconhecível

Mayara Bueno
Rio Formoso ontem, em foto registrada da ponte do Hermínio, em Bonito. (Foto: Lu Bigatão Rios).Rio Formoso ontem, em foto registrada da ponte do Hermínio, em Bonito. (Foto: Lu Bigatão Rios).

Principal de Bonito, 257 km de Campo Grande, o Rio Formoso está completamente turvo neste sábado (dia 24). A situação ocorre uma semana depois da chuva que levou barro para o Rio da Prata, na cidade vizinha, Jardim, e deixou a água do rio irreconhecível.

Uma das imagens registradas sexta-feira (dia 23) é da ponte do Hermínio. Nos locais de passeio em Bonito que utilizam o Rio Formoso, a informação é que choveu muito durante a manhã de ontem. “Está realmente turvo, mas retorna rápido”, afirma Clayton Castilho Gomes, responsável por um hotel fazenda da região.

Por enquanto, ele afirma que vai acompanhar a situação para, caso não melhore rápido, buscará tomar alguma medida. “Ficamos sabendo que houve um sobrevoo do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), mas ainda não soubemos se foi detectado algo”.

O Rio Formoso é considerado o principal de Bonito. Ele ‘nasce’ e ‘morre’ na cidade e vários passeios dependem dele, como flutuação na Praia da Figueira, Parque Ecológico do Rio Formoso, Hotel Fazenda do Rio Formoso, os balneários do Sol, Porto da Ilha e Ilha Bonita.

Apesar de o período do ano ser de chuva e as águas turvas serem comuns, a situação chama atenção dos órgãos envolvidos com o meio ambiente. Há a informação de matas ciliares desmatadas para produção, áreas que deveriam ser mantidas, justamente para servir como meio de impermeabilização da água da chuva. Sem essa ‘camada’ de proteção, a água escorre junto com o barro para as águas cristalinas.

Um funcionário de um parque ecológico em Bonito afirmou que água turva não influencia tanto os passeios operados onde trabalha, porque são os considerados de aventura, como passeio de bote e o boia cross. “O nível [da água] sobe e pode ser que interdite, mas, por enquanto, estamos operando sem restrições”.

Ele estima que dentro de dois a três a água voltará a ficar transparente. Diferente está a situação do Rio da Prata, em Jardim, cuja água segue turva uma semana depois da forte chuva registrada.

 

Rio Formoso no Balneário Municipal em dia de águas limpas. (Foto: Divulgação).Rio Formoso no Balneário Municipal em dia de águas limpas. (Foto: Divulgação).

Grave

A situação provocou reação do Governo de Mato Grosso do Sul, que considerou “grave” e afirmou adotar medidas emergenciais para combater o escorrimento da água barrenta para os rios da região de Bonito e Jardim.

Conforme o governo, a primeira ação será a correção dos pontos críticos, em especial no Rio da Prata. As ações, ainda assim, buscam solucionar problemas em outros rios de Jardim e Bonito. O comitê também definiu que a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) vai realizar a manutenção das estradas na região, para impedir que a enxurrada leve os sedimentos para os rios.

A PMA enviou equipes para investigar a lama que atingiu o Rio da Prata. Os policiais identificaram uma fazenda, localizada a 2 km da região afetada, onde há plantio de soja.

Para identificar, a PMA usou drone para registro de imagens aéreas. A conclusão foi de “possibilidade do sedimento ter saído de uma fazenda de plantio de soja, com terreno gradeado e a cultura em estágio inicial”.

A terra seria arrendada para outra pessoa, que deve ser identificada. Um relatório sobre o caso foi enviado pela PMA ao Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul).

Abaixo, a galeria mostra fotos do rio limpo e dele completamente marrom. 

 


imagem transparente