A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 24 de Setembro de 2019

11/09/2019 22:30

Em cenário devastado, equipes tem avião e apoio da PMA contra queimadas

Corpo de Bombeiros, policiais militares ambientais e voluntários se unem em operação para conter as queimadas

Adriano Fernandes
Militares preparando bombas com águas para apagar os focos na vegetação. (Foto: Direto das Ruas) Militares preparando bombas com águas para apagar os focos na vegetação. (Foto: Direto das Ruas)

Corpo de Bombeiros, policiais militares ambientais e voluntários, seguiram um ritmo intenso de trabalhos no combate aos incêndios na região pantaneira, durante toda esta quarta-feira (11). A força tarefa tenta minimizar os estragos e, principalmente, evitar que as chamas se alastrem pelas áreas de preservação, causando um prejuízo ambiental ainda maior.

Na região do Refúgio Ecológico Caiman, por exemplo, a imagem de duas cobras mortas pelo fogo comprovam que não só as matas, mas os animais padecem diante do fogo que se espalha a cada minuto.

Para o local foram encaminhados quatro bombeiros especialistas no combate a incêndios florestais, nesta manhã, mas a Polícia Militar Ambiental também presta apoio com mais cinco agentes de Miranda. Vinte brigadistas do Prevfogo, órgão ligado ao Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) também estão na reserva.

Bombeiros usando abafadores para combater as chamas na vegetação. (Foto: Direto das Ruas) Bombeiros usando abafadores para combater as chamas na vegetação. (Foto: Direto das Ruas)
Cobras mortas pelo incêndio. (Foto: Direto das Ruas) Cobras mortas pelo incêndio. (Foto: Direto das Ruas)

Até mesmo um avião de pequeno porte foi usado no combate às chamas, durante o dia e por terra os trabalhos também seguem a todo vapor. “Estamos monitorando a região desde o início do mês, partindo para o ‘corpo a corpo’ em situações como na reserva, onde o combate é feito com os recursos que dispomos. Usamos abafadores, bombas costais, caminhões pipas dos funcionários da própria reserva”, comentou o tenente Antônio Rondon, comandante da PMA de Miranda, município a 31 quilômetros do refúgio.

Ainda não há um quantitativo da área atingida na reserva, mas as equipes permanecerão no local enquanto houver fogo, conforme explicou o major Edmilson Queiroz da PMA. “O principal objetivo é combater as chamas, por isso ainda não sabemos o quanto já foi destruído. O foco é evitar que o fogo atinja outras áreas de preservação, agravando ainda mais a situação”, comentou.

Equipes traçando o plano de ação de combate aos incêndios. (Foto: Direto das Ruas) Equipes traçando o plano de ação de combate aos incêndios. (Foto: Direto das Ruas)

O refúgio está entre os dez pontos de calor considerado críticos em Mato Grosso do Sul, que foram sobrevoados nesta quarta-feira (11). A maior parte fica no Pantanal. Amanhã (12) o governo estadual irá decretar situação de emergência devido aos incêndios.

A administração vai solicitar apoio do governo federal e do Exército Brasileiro. A administração estadual quer usar aeronaves e helicópteros das forças de segurança a fim de alcançar locais de difícil acesso para combater incêndios. “Contamos com esse apoio para poder controlar as queimadas”, concluiu Queiroz.

Confira o vídeo de avião sendo usado no combate as chamas no refúgio.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions