15/05/2019 11:47

Chamados para acidente, bombeiros descobrem que passam por teste

Simulação chamou atenção de quem passou por cruzamento de uma das principais avenidas da Capita, a Afonso Pena

Liniker Ribeiro
Carros batidos, viatura do Corpo de Bombeiros e militares durante simulação (Foto: Liniker Ribeiro)Carros batidos, viatura do Corpo de Bombeiros e militares durante simulação (Foto: Liniker Ribeiro)

Dois carros colidem, um deles tomba e uma vítima fica presa às ferragens no cruzamento de uma das principais avenidas da Capital, a Afonso Pena. A situação poderia ser real, mas não passou de uma simulação do Corpo de Bombeiros, na manhã desta quarta-feira (15). Sem saberem do teste, militares do 6º Batalhão, responsável pela região norte da cidade, foram acionados para atender a ocorrência, que também atraiu diversos curiosos na região do Shopping Campo Grande.

Somente quando chegaram ao local os bombeiros descobriram que se tratava de um treinamento, porém, tiveram de realizar os procedimentos de forma normal. De acordo com o Comandante do 6º Batalhão de Bombeiros Militar, Huesley Paulo da Silva, a intenção é avaliar o trabalho dos militares e melhorar o atendimento das equipes.

 

Vítima sendo socorrida durante treinamento dos Bombeiros (Foto: Liniker Ribeiro)Vítima sendo socorrida durante treinamento dos Bombeiros (Foto: Liniker Ribeiro)
Huesley Paulo da Silva, comandante do 6º BCBM (Foto: Liniker Ribeiro)Huesley Paulo da Silva, comandante do 6º BCBM (Foto: Liniker Ribeiro)

“Aproveitando que estamos no Maio Amarelo, unimos o útil ao agradável, e preparamos essa simulação com objetivo de avaliar nosso desempenho e fazer possíveis correções teóricas e práticas, para melhorar nosso atendimento”, revelou Huesley.

Seis viaturas participaram do treinamento na Avenida Afonso Pena com a Rua DR. Antônio Alves Arantes. Pelo menos 15 militares não sabiam que toda a situação, na verdade, se tratava de uma simulação.

Ao todo, quatro avaliadores ficaram responsáveis por analisar o desempenho das equipes e, de acordo com o comandante, os pontos levantados hoje serão apresentados na semana que vem para aos militares, em um novo treinamento.

“Tudo está sendo avaliado, desde o modo como as viaturas foram estacionadas, até o jeito como os equipamentos são usados e como a vítima está sendo atendida”, revelou. Dentro de um dos veículos, uma estudante de enfermagem se passou por vítima do acidente e, com maquiagem, ferimentos na cabeça e nos membros inferiores indicavam a gravidade da passageira.

Quem passava pelo local no momento em que a atividade era realizada, ficou assustado. “De longe eu vi um carro em cima do outro e, com tudo isso de viatura aqui, pensei logo que era um acidente grave”, revelou rapidamente um motociclista que parou próximo ao local.

Por conta da simulação, uma das faixas da Avenida Afonso Pena, no sentido Parque dos Poderes/Centro, ficou interditada.

imagem transparente