07/05/2013 14:42

Prefeito aponta dedo e grita com professor em reunião na Prefeitura

Edivaldo Bitencourt e Helton Verão
Professor mostra onde foi agredido por guardas municipais (Foto: Helton Verão)Professor mostra onde foi agredido por guardas municipais (Foto: Helton Verão)

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), não gostou do protesto dos professores na manhã de hoje, que fizeram passeata e ocuparam, a força, o prédio do Paço Municipal. Durante reunião com a comissão, ele ficou nervoso e chegou a gritar com um dos participantes.

Professor da rede pública municipal há 21 anos, Edivaldo Bispo Cardoso, de 45 anos, contou que o grupo encontrou o prefeito irritado e nervoso. O progressista apontou o dedo para o docente e disparou: “o senhor está incitando este povo contra mim”. Cardoso disse que o prefeito foi “grosso” e parecia “sem controle”.

Eleitora de Bernal no segundo turno, a professora Cristina Melo, de 37 anos, também disse que o incidente de hoje foi a gota d’água. “Hoje chegou ao limite”, comentou.

Os professores querem reajuste de 31,68% neste ano, mas o prefeito só concede 8%. Eles aceitam dividir o percentual em quatro parcelas, desde que o valor de R$ 1.567 seja alcançado em outubro de 2014. O prefeito só aceita conceder até maio de 2015.

Agressão – Professores ficaram revoltados com a truculência da Guarda Municipal. O professor de Matemática da Escola Consulesa Margarida Maksoud Trad, no bairro Estrela Dalva, Carlos Antônio Escobar, foi agredido a chutes pelos seguranças.

Ele contou que furou a barreira e foi detido por guardas municipais a paisana. Eles o levaram para uma salinha e agrediram com chutes. Um grupo o viu em apuros e o resgatou.

A agressão aumentou a revolta contra o prefeito na assembleia geral na ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública).

imagem transparente