29/03/2019 07:14

Fórum reforça segurança para julgamento de assassino de Mayara

Luís Alberto Bastos Barbosa, acusado de matar a musicista Mayara Amaral, será julgado por homicídio qualificado; familiares da vítima organizam protesto

Silvia Frias
Luís está preso desde o dia 27 de julho quando foi surpreendido por equipes da Polícia Civil (Foto/Arquivo: Fernando Antunes)Luís está preso desde o dia 27 de julho quando foi surpreendido por equipes da Polícia Civil (Foto/Arquivo: Fernando Antunes)

O Fórum de Campo Grande irá reforçar a segurança e haverá controle na entrada da sessão de julgamento de Luís Alberto Bastos Barbosa, acusado de matar a musicista Mayara Amaral, em crime ocorrido em junho de 2017 e que causou comoção no País.

A sessão de julgamento pela 1ª Vara do Tribunal do Júri está marcada parar hoje, a partir das 8 horas, no Fórum. O juiz Aluízo Pereira dos Santos reuniu-se com familiares de Mayara Amaral em que foi tratada a forma como poderiam se manifestar sem causar tumulto ou influenciar os jurados.

O magistrado orientou ao grupo que qualquer manifestação poderá ser feita apenas nas ruas do entorno do Fórum e não será permitido o uso de camisetas padronizadas e cartazes dentro do local. A segurança será reforçada com a presença de mais policiais e haverá maior controle na entrada da sessão.

Pelo fato de estar previsto o comparecimento de um grande número de pessoas, serão utilizados os dois plenários do tribunal do júri, sendo que num deles será possível assistir ao julgamento pelo telão. Está também agendado outro julgamento no mesmo dia, o qual teve que ser mudado para o plenário da Auditoria Militar, para melhor acomodar o público.

Crime - Mayara foi morta na noite do dia 25 de julho de 2017, em um motel localizado na Avenida Euler de Azevedo, a golpes de martelo e teve o corpo abandonado e carbonizado em uma estrada vicinal na região do Inferninho, na saída de Campo Grande para Rochedo.

Luís está preso desde o dia 27 de julho quando foi surpreendido por equipes da Polícia Civil, e preso em flagrante pela morte da musicista de 27 anos.

Ele é acusado de homicídio qualificado por recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio.

imagem transparente