02/09/2019 10:47

Depois de temporal, 17 famílias são atendidas pela Defesa Civil

As famílias foram cadastradas para receberem colchões e lonas

Viviane Oliveira
Barracos foram destelhados durante temporal registrado no fim de semana (Foto: Paulo Francis) Barracos foram destelhados durante temporal registrado no fim de semana (Foto: Paulo Francis)

Dezessete famílias na região do Jardim Noroeste, que fica na saída para Três Lagoas, na região do Complexo Penitenciário, foram atendidas ontem à tarde (1º) pela Defesa Civil após temporal registrado no fim de semana. Os locais mais atingidos foram na Avenida Marechal Mallet, na Rua Ferreira Viana, na Rua Vassouras e na Rua Nazaré.

Conforme o coordenador municipal da Defesa Civil, coronel Armindo de Oliveira Franco, as famílias foram cadastradas para receberem colchões e lonas. Nesta manhã (2), equipes da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) iriam in loco prestar assistência aos moradores. Também seriam vistoriadas residências na aldeia indígena Água Funda, no mesmo bairro. "São 78 pessoas, a maioria crianças, que foram prejudicadas pela chuva na região", disse. 

O temporal foi mais intenso em bairros que reúne conjuntos de ocupação habitacional irregulares, onde famílias vivem em barracos. Parte das moradias foi destruída e os moradores perderam tudo que tinham.

Na Avenida Marechal Mallet, moradores da “Comunidade do Linhão” ficaram assustados com o vento forte que atingiu a região. No mesmo conjunto, na Rua Ferreira Viana, uma árvore caiu e atingiu a fiação elétrica deixando famílias sem energia. Em outro conjunto de barracos, na Rua Dom João Sexto, aproximadamente 15 moradias foram atingidas. 

Conforme o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), não há previsão de chuva para esta segunda-feira (2) na cidade. A temperatura máxima na Capital deve ficar na casa dos 32ºC com umidade relativa do ar entre 85% e 40%. 

imagem transparente