20/02/2019 12:22

Pai quer pensão e induziu filhos a acusarem o irmão de estupro, diz tio

Com a guarda das crianças há 5 anos, o assistente social teme que sobrinho de 16 anos seja agredido na rua

Danielle Valentim
Caso é investigado pela Depca.  (Foto: Henrique Kawaminami)Caso é investigado pela Depca. (Foto: Henrique Kawaminami)

O tio das crianças de 9 e 11 anos que denunciaram o irmão de 16 anos por estupro procurou o Campo Grande News nesta quarta-feira (20), pois teme que o sobrinho mais velho seja agredido na rua. Com a guarda das crianças há cinco anos, o assistente social de 29 anos afirma que pai dos irmãos os induziu com interesse em receber a pensão da mãe, que faleceu há seis anos.

Por imposição do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), para preservar as crianças e o adolescente, o nomes não serão divulgados.

À reportagem, o tio contou que detém a guarda dos menores desde 2014 e que elas sempre foram bem cuidadas, fato que, segundo ele, pode ser confirmado por amigos e vizinhos. 

O assistente social garante que o depoimento das crianças foi influenciado pelo pai, que tem interesse em receber a pensão alimentícia da mãe das crianças, que faleceu em 2013 em um acidente no trânsito.

“Ele induziu os filhos a denunciarem o estupro para desviar o foco em relação aos maus tratos e terror psicológico que ele e a madrasta nesse período de férias causaram as crianças. Ele quer a pensão das crianças”, disse.

Provas e conversas com entre o tio e o pai das crianças foram entregues à Polícia Civil. O caso é investigado pela Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude) e Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente). As crianças já passam por exames e os resultados que podem comprovar ou não os abusos devem ficar pronto entre 10 ou 15 dias.

O caso - As duas crianças moram com o tio materno e o irmão por parte de mãe, desde que a genitora faleceu. Há dois meses, os irmãos foram para a casa do pai passar as férias.

No dia 17 de fevereiro, as vítimas teriam dito à madrasta que não queriam voltar a morar com o tio, pois eram abusadas pelo irmão e obrigadas a usarem pasta-base de cocaína.

O pai tirou satisfação com o tio das crianças, que rebateu que as crianças estariam sendo pressionadas a contar mentiras.

Em razão disso, o Conselho Tutelar e a Polícia Militar foram acionados. As crianças foram entregues pelo Conselho Tutelar a uma tia materna.

O delegado da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude), Fábio Sampaio, que ficará responsável pelo caso, pretende intimar os responsáveis pelas crianças ainda na tarde desta segunda-feira (18). Por envolver adolescentes e crianças, os nomes dos envolvidos são preservados por imposição do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Preso por violência doméstica diz ter sido torturado por detentos em presídio
Um rapaz, de 29 anos, condenado por violência doméstica diz ter sido torturado por colegas de cela no Estabelecimento Penal do Regime Aberto de Campo...
Jovem tem WhatsApp clonado após anunciar venda de veículo em site
Mais um morador de Campo Grande teve o seu aplicativo de WhatsApp, clonado por golpistas. Neste sábado (18) um rapaz, de 27 anos, procurou a polícia ...
imagem transparente