30/01/2019 10:43

Procon fecha escola profissionalizante que funcionava irregularmente

A escola não tinha alvará de funcionamento e mesmo assim oferecia cursos para diversas áreas

Bruna Kaspary
Escola que funcionava irregularmente foi lacrada pela superintendência (Foto: Divulgação/Procon)Escola que funcionava irregularmente foi lacrada pela superintendência (Foto: Divulgação/Procon)

Uma escola de cursos profissionalizantes foi fechada pelo Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) por não ter alvará de funcionamento. A escola funcionava irregularmente e não conseguia comprovar o comparecimento dos alunos nas aulas, nem fornecer uma lista de preços dos cursos e até nota fiscal quando era solicitado.

Apesar de não ter autorização para dar aulas e formar profissionais, a Tecgims oferecia diversos cursos, como operador de retroescavadeira, de escavadeira hidráulica, empilhadeira e entre os mais procurados estavam os de instalador de energia solar e eletricista residencial, mas quando era pedido nota fiscal para comprovar o pagamento, os alunos não tinham retorno.

Outra irregularidade denunciada a superintendência era a falta de lista de presença dos alunos. Assim não era possível ter um controle de que o estudante esteve de fato ou não nas aulas e, assim, poderia receber aval de que estaria apto para o serviço mesmo sem a formação necessária.

Os ficais também exigiram uma lista de divulgação dos valores dos cursos, mas a escola não tinha nenhum informativo prévio para os alunos.

A escola foi fechada temporariamente até que entregue todos os documentos regulamentados. O Procon orienta que, caso o cliente tenha dúvidas sobre o funcionamento dessas escolas deve entrar em contato com a superintendência para formalizar uma denúncia, e assim será investigada a validade dos certificados entregues pela instituição.

imagem transparente