08/04/2019 15:26

Caminhos da humanidade da informação nacional

Aletheya Alves

TALIÃO – Jornalista e radialista Carmen Cestari comentou –com propriedade- sobre retaliação da administração Bolsonaro contra principais canais da mídia nacional. Corte de verbas de veiculação publicitária emanadas do Planalto. Simples assim.

NÃO FUI EU QUE FALEI – Atos como esse mostram como caminha a humanidade da informação nacional. Aquinhoados da publicidade oficial em décadas passadas, grandes veículos da sessão ‘cartas do leitor’ o faziam com o adendo “transcrições aqui veiculadas não representam, necessariamente, a opinião do jornal”.

LÁ E CÁ – Subordinada a esquema de venda de espaços publicitários é natural que todo -e possível- anunciante receba tratamento especial da crônica escrita, falada e televisada. Desmentindo órgãos que se arvoram em ser “veículo com opinião independente”. Às favas análises mais contundentes.

CORRESPONDENTES – Jornalísticos de rádios e repetidoras de TVs de Mato Grosso do Sul contribuíram para maior politização de parte da população local. Hiato de período de simples repasse de informações do planalto central foi trocado por aplicação de recursos na criação de correspondentes das emissoras.

PONTE BRASÍLIA/MS – TV Morena foi pioneira na nomeação de correspondentes e, após pequeno tempo, rifou a função. Atualmente, o jornalista Odacil Canepa coordena equipe composta de repórter (que substituirá Renato Rosa) e o cinegrafista Francisco Diniz. Canepa ainda encontra tempo para produzir conteúdos para o ‘Canal do Boi’, do Grupo SBA.

SEM BOECHAT – Lana Canepa, oficialmente ocupando a bancada do ‘Jornal da Band’, terá novo companheiro na apresentação do telejornal. Informações dão conta que o sucessor de Ricardo Boechat será anunciado ainda nesta semana.

VC NA COLUNA – “Em 1987, trabalhei um ano em Brasília, cobrindo os trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte, como correspondente da Rádio Caiuás, de Dourados. Fazia boletins ao vivo durante o programa ‘Primeira Hora’, apresentado pelo saudoso Luiz Rogério de Sá. No dia 11 de outubro de 1977 estava em Brasília como enviado especial do jornal ‘O Progresso’, cobrindo a cerimônia de criação do Estado de Mato Grosso do Sul, no salão Leste do Palácio do Planalto”. Valfrido Silva

ESCATOLOGIA GLOBAL – Apresentadoras Leilane Neubarth e Mônica Waldvogel cumpriram ‘gancho’ de cinco dias por comentarem vídeo postado por Messias Bolsonaro no carnaval. Ato do jornalismo da rede Globo segue orientação para “não comprometer princípios de neutralidade”. Como se isso existisse, de fato, na emissora.

PRAZO DE VALIDADE – Fiel a contratos publicitários assinados há tempos, rede Globo mantém o ‘Bem Estar’ no ar. Efetivamente ele passa para a condição de quadro no ‘Encontro’ com Fátima Bernardes e, fim dos compromissos, desaparece definitivamente.

Aposentaram tradicionais nomes da publicidade
FESTA DO INTERIOR – A 23ª edição do ‘Prêmio Morena de Criação’, da TV Morena, mostrou que tradicionais nomes da publicidade de MS estão aposentados. ...
Redes sociais denunciam falta do esporte no rádio e TV
PIORES CEGOS – O texto-reconhecimento do jornalista corinthano Edson Moraes sobre o Palmeiras provocou inúmeros comentários. Sem tomar partido dos me...
Ator diz que personagem “morreu” por perder contrato
RACISMO? - Em vídeo publicado no Instagram, Nando Cunha refuta a versão do SBT de que a morte de seu personagem já estava prevista na sinopse do folh...
Informativos “pasteurizados” no dial e na telinha em MS
BRAZUCA GOZADOR – Departamento de esportes da Rede Globo não atentou para mania nacional de azucrinar temas importantes. Desculpas esfarrapadas não c...
imagem transparente