01/09/2019 07:15

Amigos se unem pelo dread e técnicas usadas em estúdio salvam até 70% do cabelo

Sem uso da cera, as técnicas são artesanais e só utilizam a agulha para embaraçar os fios

Danielle Valentim
Um dread mediano pode durar até seis horas. (Foto: Kísie Ainoã)Um dread mediano pode durar até seis horas. (Foto: Kísie Ainoã)

Adeptos do dreadlock, ou simplesmente dreads, ganharam espaço especializado no penteado por aqui. A técnica que embaraça mechas do cabelo pode parecer um procedimento sem volta, mas a novidade do Cabeça Feita é que até o método tradicional pode ser removido com garantia de recuperação de até 70% dos fios.

O Cabeça Feita nasceu para ser o 1º estudio especializado em dreads de Mato Grosso do Sul. A dreadmaker Isabela Tezani e o músico Patrik Sandim uniram projetos e a paixão em comum por algo inédito no Centro de Campo Grande. 

Patrik explica que estava em meio a uma manutenção dos dreads na casa de Isabela, quando comentou sobre o desejo de abrir salão que oferecesse o tipo de serviço. “Eu era cliente dela e como sou adepto do dreadlocks há quatro anos tive a ideia de montar o salão. Ela também estava com o projeto de parar de atender em casa e juntamos o útil ao agradável”, frisa.

Isabela e Patrick no Cabeça Feita,  1º Studio Especializado em Dreads de Mato Grosso do Sul.Isabela e Patrick no Cabeça Feita, 1º Studio Especializado em Dreads de Mato Grosso do Sul.

Isabela topou, principalmente, porque um espaço como esse valoriza a cultura por aqui. “Ele já era meu cliente e eu já queria parar de atender meus clientes em casa. Quando ele falou da ideia eu disse da minha vontade de ter um espaço, pois já trabalho com isso há 8 anos”, pontua.

A dreamaker explica que a ideia é realizar um trabalho da forma mais orgânica possível e, por isso, descartaram a técnica com cera de abelha. O método também é pouco usado devido à dificuldade de limpeza. O studio também conta com a mão de obra do dreadmaker Jefferson Recalde.

“Os dreads que a gente trabalha são com agulha de croch, de forma artesanal. Para quem prefere não utilizar o próprio cabelo, é possível usar o dread de alongamento removível ou o de lã. Mesmo assim, a técnica tradicional com o próprio cabelo é possível ser removida. Eu consigo recuperar até 70% do cabelo”, explica.

Sócios também vendem produtos naturais veganos e medicinais.Sócios também vendem produtos naturais veganos e medicinais.
Em meio a decoração, mandalas coloridas também estão à venda.Em meio a decoração, mandalas coloridas também estão à venda.

Os trabalhos funcionam em uma das salas do espaço colaborativo do Brava. Com paredes decoradas, espelho e cadeiras de cabeleireiro, os sócios também vendem produtos naturais veganos e medicinais, como: pó dental de hortelã, desodorantes de cravo e canela e alecrim, colônia de Palo Santo, sabonete de leite de aveia com argila amarela, óleos corporais pós banho de laranja, capim limão e lavanda, máscara de argila e protetor labial.

O dread de agulha é o tipo mais comum e conhecido. Para a técnica não é usado nenhum produto, apenas a agulha de crochê. Os dreads de lã tem até um tempo pré-definido para serem removidos já que começa a se soltar.

Já os dreads removíveis são usados para quem tem medo de danificar os cabelos. O efeito fica idêntico ao da agulha, porque os dreads já vem prontos e são conectados no cabelo por costura.

Os dreads de cera deixaram de ser usados depois da criação do método da agulha. A forma antiga utilizava a cera de abelha para formar o dread depois do cabelo ser embaraçado nos rolinhos.

O dread de agulha é o tipo mais comum e conhecido.O dread de agulha é o tipo mais comum e conhecido.
O espaço funciona de segunda a sábado das 9h às 21h, com horário marcado. O espaço funciona de segunda a sábado das 9h às 21h, com horário marcado.

A produção do dreads tradicional na agulha e em cabelo mediado pode durar mais de seis horas. O penteado em cabelo longo leva em média nove horas.

Em meio a decoração, mandalas coloridas também estão à venda, além do artesanato de artistas de rua.

O espaço funciona de segunda a sábado das 9h às 21h, com horário marcado. O Cabeça Feita fica na Avenida Calógeras, 3100.

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

Confira mais fotos na galeria.


imagem transparente