20/08/2019 19:22

Operação que prendeu integrante do PCC aconteceu após ameaças a PRF

As ações realizadas ontem resultaram ainda na apreensão de drogas, munições, armas e R$ 27 mil em dinheiro

Geisy Garnes
Equipes durante a operação desta segunda-feira (Foto: Divulgação)Equipes durante a operação desta segunda-feira (Foto: Divulgação)

A operação Kratos, que resultou na prisão de cinco integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) em Corumbá – a 419 quilômetros de Campo Grande – foi realizada após ameaças contra um policial rodoviário federal. O crime aconteceu no sábado (17) e as buscas pelo autor continuam.

Conforme apurado pela reportagem, dois policiais do município foram vítimas de ameaças, o último deles um inspetor da PRF (Polícia Rodoviária Federal). Segundo testemunhas, integrantes da facção marcaram a casa do policial com as iniciais do grupo criminoso.

O crime resultou em operação conjunta entre Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal, PRF e também Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), realizada nesta segunda-feira (19). As buscas por integrantes da facção foram feitas em Corumbá e Ladário e terminaram com a prisão de cinco pessoas, três delas foragidas do sistema prisional.

Ao Campo Grande News, a PRF afirmou que as buscas pelos autores das ameaças continuam.

Dinheiro, armas e drogas apreendidas (Foto: Divulgação) Dinheiro, armas e drogas apreendidas (Foto: Divulgação)

Prisões - Os presos foram identificados como Thayná Gomes Modesto, de 24 anos, Jamilson Pereira do Carmo, 42 anos, Charly Wanderson Gonçalves de Matos, 27 anos, Luciano Ferreira Miranda, 32 anos, e Jackson Luiz Costa Rosa, 28 anos.

Jamilson foi encontrado no loteamento Pantanal com R$ 27,6 mil em dinheiro, um revólver calibre 38 e nove munições. Thayná foi presa dentro de um ônibus com destino a Campo Grande. Ela engoliu 50 cápsulas de cocaína e confessou que viajaria a Roma, na Itália, para entregar a droga.

Os outros três suspeitos estavam foragidos. Jackson Luiz cumpria pena por roubo em regime aberto, mas rompeu a tornozeleira eletrônica e era procurado desde o dia 4 do mês passado. Em março deste ano, Luciano foi condenado a quatro anos de prisão no regime semiaberto por roubo, mas fugiu em maio.

Charly Wanderson, que já tem passagem por roubo, foi encontrado com porções de cocaína, munições e notas de dinheiro trocadas, característica do tráfico de drogas. Ele ainda estava com mandado de prisão em aberto por participação em um assassinato, cometido no início de 2019. A vítima seria integrante do Comando Vermelho e foi julgada no "tribunal do crime" do PCC, alvo da guerra entre as facções.

Policiais militares ainda apreenderam 10,3 quilos de maconha, que estavam em casa que serviria de depósito para veículos furtados e roubados em Corumbá. O imóvel estava vazio e o proprietário fugiu quando os policiais chegavam a casa dele, no centro da cidade. No local foram encontradas quatro munições calibre 12.

Porquê Kratos - Na série de jogos "God of War", Kratos é um lutador espartano pensado pelo criador David Jaffe, baseado na ideia de um deus grego ou herói espartano que acaba tendo sua família morta pelas mãos de Ares e resolve matar o Deus, assumindo seu lugar. Mas na mitologia grega, Kratos é um deus da força e do poder.

imagem transparente